Líder do MTST contradiz Ciro sobre ‘controle remoto’ na mídia

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018 as 16:21, por: CdB

Em sua página, no Twitter, Boulos disse que Ciro “repete o erro de dizer que a melhor regulação da mídia” é o controle remoto; em referência à mesma declaração já feita pela presidenta deposta Dilma Rousseff (PT).

 
Por Redação – de São Paulo

Líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o cientista político Guilherme Boulos respondeu ao ex-ministro e pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, e assumiu a bandeira pela democratização da mídia.

Guilherme Boulos é um dos principais coordenadores do MTST e tem sido perseguido por suas posições políticas
Guilherme Boulos é um dos principais coordenadores do MTST e tem sido perseguido por suas posições políticas

Em sua página, no Twitter, Boulos disse que Ciro “repete o erro de dizer que a melhor regulação da mídia é o controle remoto”; em referência à mesma declaração já feita pela presidenta deposta Dilma Rousseff (PT). Em seu governo, Dilma transferiu mais de R$ 6 bilhões às Organizações Globo; enquanto passou a perseguir a mídia independente.

Ao longo de seu primeiro mandato, Dilma chegou a fazer uma omeleta no programa da apresentadora Ana Maria Braga. A artista, da Globo, logo em seguida, passou a criticar cada um dos atos da petista. Uma entrevista exclusiva à revista semanal de ultradireita Veja, que liderou o apoio ao golpe de Estado, em curso; também chamou atenção das forças de esquerda quanto aos princípios defendidos pela presidenta.

Controle remoto

A declaração de Ciro foi feita durante evento nesta terça-feira; organizado pela editora do diário conservador paulistano Folha de S. Paulo. Ele afirmou que não colocaria em pauta a regulação da mídia; caso chegasse ao Planalto.

“Não dá mais. A esquerda precisa assumir a pauta da democratização das comunicações, com fim do monopólio e da propriedade cruzada. É cumprir a Constituição, nada mais”, encerra Boulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *