Luizão diz que Edílson amarelou

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 12 de junho de 2003 as 17:20, por: CdB

O zagueiro Luisão respondeu com veemência as provocações do atacante Edílson, feitas antes do jogo final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira. Atingido diretamente pela língua afiada do Capetinha, Luisão nem esperou o término do jogo para contra-atacar o adversário, de quem foi colega em 2002.

Autor do terceiro gol do Cruzeiro, logo aos 28min do primeiro tempo, foi logo disparando enquanto se dirigia ao vestiário, no intervalo da partida.

– Não estou ligando para ele, porque ele é pipoqueiro – disse, quando perguntado sobre o duelo anunciado por Edílson.

Já na festa do título, Luisão reafirmou as críticas ao Capetinha, no mesmo teor. Perguntado na terça-feira sobre o jovem zagueiro Gladstone, de 18 anos, que fez sua estréia no time profissional, Edílson disse que não o conhecia e que o caminho para o título seria jogar em cima de Luisão.

– Fiquei magoado por ser um companheiro nosso, que foi até campeão da Sul-Minas com a gente. Só que 80 mil torcedores viram que a primeira dividida minha com ele, depois ele saía, a própria torcida chamou ele de pipoqueiro, e para mim ele pode ter as conquistas dele, mas é um pipoqueiro. Fala demais, e chega lá dentro não vejo nada disso – disse, referindo-se à conquista da Sul-Minas de 2002.

Luisão contou que bastou encarar Edílson no início do jogo para que resolvesse o problema.

– Bastou olhar de cara feia para ele começar pular o jogo todo. Para quem falou que ia jogar em cima de mim, tive duas divididas com ele em 90 minutos, o que é muito pouco. Ele procurava sempre a bola no meio-campo, para mim jogou de volante – disparou.

O zagueiro relevou a importância do Capetinha em sua carreira.

– Ele para mim é uma incógnita, não vai acrescentar nada na minha vida. Quem acrescenta é o que engraxa a chuteira, os companheiros, a comissão técnica – disse Luisão, que terminou tomando as dores de Gladstone.

– Conheceu ele hoje (quarta-feira), não ganhou uma bola do menino – completou.