Lula adverte ao mundo que o país tem no comando um ‘presidente genocida’

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 19 de março de 2021 as 14:31, por: CdB

Lula afirmou, ainda, que um presidente que “tivesse a noção do que significa governar” teria criado um comitê de crise para o enfrentamento da pandemia. No entanto, Bolsonaro preferiu comprar milhões de doses de cloroquina, sem resultado prático algum na luta contra o coronavírus.

Por Redação, com agências de notícias – de Paris

Em entrevista ao diário de centro-direita francês Le Monde, nesta sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou que o Brasil é governado atualmente por um “presidente genocida”. Presidenciável para 2022, Lula destaca o discurso negacionista de Jair Bolsonaro (sem partido) desde o início da pandemia, no qual critica o uso de máscaras e o isolamento social; além de apostar em medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19.

Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista ao diário francês Le Monde, critica a condução da luta contra a pandemia, no Brasil

Ao jornal francês, de projeção internacional, Lula também comparou a pandemia a uma “Terceira Guerra Mundial” e pediu união dos líderes internacionais no combate à doença.

— Comecei na política nos anos 1970 e nunca vi meu povo sofrer como hoje. Pessoas morrendo nos portões dos hospitais, a fome voltou. E, diante disso, temos um presidente que prefere comprar armas de fogo ao invés de livros e vacinas. O Brasil é chefiado por um presidente genocida. É realmente muito triste — lamentou o ex-presidente.

‘Gripezinha’

 Lula afirmou, ainda, que um presidente que “tivesse a noção do que significa governar” teria criado um comitê de crise para o enfrentamento da pandemia. No entanto, Bolsonaro preferiu comprar milhões de doses de cloroquina.

— O que nosso governo fez? A primeira coisa que disse foi que não acreditava na doença. Bolsonaro disse que era uma ‘gripezinha’ e que, sendo militar, não pegaria. Ele inventou a história da cloroquina. Ele comprou milhões de doses de Donald Trump — criticou.

Bolsonaro é um “ignorante”, repetiu o líder popular.

— Hoje, ele continua a dizer que usar máscara é um sinal de covardia e covardia. Bolsonaro é tão ignorante! Ele acredita que, ao se recusar a admitir a gravidade da pandemia, a economia vai se recuperar novamente. A única cura é vacinar o povo brasileiro — acrescentou o ex-presidente.

Chame o G20

Aos jornalistas franceses, Lula ressaltou que, desde o início da pandemia, os líderes mundiais não se reuniram para discutir o enfrentamento da doença. o ex-presidente ressalta que a prioridade é discutir a liberação de vacinas para todo o mundo.

— Apelo ao presidente Emmanuel Macron: chame o G20. Ligue para Joe Biden, Xi Jinping, Vladimir Putin e o resto. Estamos em guerra, é a Terceira Guerra Mundial e o inimigo é muito perigoso! A vacina não deveria ser um produto de mercado como é hoje, mas se tornar um bem comum da humanidade — pontuou.

Consenso

Sobre a continuidade dos processos da Operação Lava Jato, que tiveram suas condenações anuladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente afirmou que está “muito confiante” e “tranquilo”. Ele aponta, ainda, que o ex-juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol “são culpados” e “sabem” que ele é inocente.

Ainda assim, embora a decisão judicial tenha lhe restabelecido os direitos políticos, Lula disse que é difícil dar uma resposta simples sobre se será candidato contra Bolsonaro nas eleições de 2022.

— Sinceramente, não sei! Eu tenho 75 anos Em 2022, na época das eleições, terei 77. Se eu ainda estiver em grande forma, e for estabelecido um consenso entre os partidos progressistas deste país para que eu seja candidato, bem, não verei nenhum problema para estar. Mas já fui candidato, já fui presidente e cumpri dois mandatos. Também posso apoiar alguém em boa posição para vencer. O mais importante é não deixar Jair Bolsonaro governar mais este país — conclui.