Lula cobra agilidade do Judiciário

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 13 de maio de 2003 as 12:29, por: CdB

Ao participar esta segunda-feira do sorteio de mais 26 cidades que serão investigadas pela Controladoria-Geral da União (CGU), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou rapidez do Poder Judiciário na análise dos processos de corrupção envolvendo dinheiro público.

– Espero que o Judiciário tenha agilidade para que esses processos não sejam engavetados, para que esses processos não demorem, porque o povo não pode continuar sendo roubado.

No mês passado, Lula chegou a dizer que era preciso abrir a “caixa-preta do Judiciário” .

O novo sistema de fiscalização, por sorteio, começou no mês passado, e a CGU já detectou irregularidades nos cinco primeiros municípios investigados sobre a aplicação de recursos federais – foram repassados, para essas cidades, R$ 18,6 milhões em 2002. Os problemas identificados vão desde o superfaturamento em obras de drenagem no Amazonas à suspensão da distribuição de merenda escolar durante dez meses do ano passado no Piauí.

Nos próximos dias, a Controladoria vai apurar as contas das 26 cidades com até 100 mil habitantes sorteadas ontem pela Caixa Econômica Federal. Dessa vez, uma de cada Estado – Dobrada (SP), São João das Missões (MG), Santa Quitéria (CE), Carrasco Bonito (TO) são algumas delas. Para agilizar os processos na Justiça, Lula sugeriu mudanças na lei de forma a evitar que uma pessoa envolvida em corrupção seja julgada somente depois de terminado o mandato.

– O que nós precisamos é de uma decisão da sociedade em dizer: não é possível que um vereador entre pobre na Câmara e, em três meses, ele já tenha uma fazenda. De onde vem esse dinheiro? Não é possível que um prefeito entre pobre e daqui a pouco fique rico.

Lula disse que o trabalho da Controladoria não foi devidamente valorizado pelo governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

– A Controladoria não vai brincar em serviço. Se, em outros tempos, ela não foi valorizada e nem utilizados 10% do potencial que ela tinha para colocar isso em prática, aqueles que não acreditavam no seu funcionamento podem ter certeza de que a Controladoria vai funcionar quando for preciso – destacou.

A Controladoria foi criada justamente na gestão de FHC.