Lula faz defesa de agência para a cultura brasileira

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 9 de novembro de 2004 as 19:48, por: CdB

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, nesta terça-feira, a criação da Agência Nacional do Cinema e do Audiovisual (Ancinav) para aumentar a participação popular em atividades culturais no país.

– O que nós queremos é aumentar o número de pessoas que possam ter direitos nesse país. Queremos aumentar o número de pessoas que possam participar das atividades culturais do nosso país – afirmou o presidente no Palácio do Planalto, durante a solenidade de entrega da Ordem do Mérito Cultural a 30 personalidades e 10 instituições que contribuíram para o desenvolvimento da cultura brasileira.

Lula disse que o projeto está enfrentando adversidades muito grandes, porque mexe com hábitos, costumes e ‘pseudodireitos’.

– Tudo isso é sempre muito complicado”, afirmou Lula, ao lembrar que o projeto não é para o presidente, nem para o ministro ou para este governo. “É um projeto cultural para uma nação que já tem 500 anos, e quem sabe um projeto que possa durar mais 500 anos – ressaltou.

O presidente pediu o apoio dos artistas e dirigentes de entidades que receberam a Ordem do Mérito Cultural de 2004 e o esforço de todos para a criação da Ancinav.

– Isso vai exigir de vocês dedicação e capacidade de persuasão. Vai exigir de vocês, que fazem parte da cultura desse país, um trabalho imenso nesse debate, para que a gente possa, definitivamente, provar ao Brasil que, muitas vezes, as mudanças, por mais complicadas que pareçam, é preciso que elas existam para que possamos nos adequar aos novos tempos – afirmou Lula.

Lula e o ministro da Cultura, Gilberto Gil, entregaram a medalha do Mérito Cultural a intelectuais, produtores e artistas dos mais diversos segmentos e também a instituições que desenvolveram trabalhos de inclusão social, arte-educação e atendimento a crianças e adolescentes. Entre os agraciados estavam o ex-ministro do Esporte Pelé, o cartunista Mauricio de Souza, o ator Paulo José, a atriz Odete Lara e o cantor e compositor João Donato. e as ceguinhas de Campina Grande. Foram condecoradas as instituições Pracatum, de Salvador, Povo Panará (tribo indígena de Mato Grosso e Pará), Nova Olinda, de Juazeiro do Norte (CE), e Fundação Casa Grande, entre outras.