Lula planeja novo ciclo de viagens pelo Brasil, de olho na candidatura

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 8 de março de 2022 as 16:11, por: CdB

Completa, nesta terça-feira, um ano da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou as condenações de Lula na Operação Lava Jato — ao constatar a incompetência da Justiça de Curitiba para julgar os casos — e tornou Lula livre para concorrer a um terceiro mandato.

Por Redação – de São Paulo

De volta à arena política, um ano depois de recuperar os seus direitos políticos cassados por aquele que é hoje seu adversário nas urnas, o ex-juiz suspeito e incompetente Sérgio Moro (Podemos), a consolidação da liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contará com mais um ciclo de viagens pelo Brasil, mirando as eleições presidenciais. A iniciativa é defendida por setores do PT diante da possibilidade de avanço do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas pesquisas de intenção de voto.

Lula
Lula não para de subir no conceito dos eleitores brasileiros desde que retomou seus direitos políticos

Completa, nesta terça-feira, um ano da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou as condenações de Lula na Operação Lava Jato — ao constatar a incompetência da Justiça de Curitiba para julgar os casos — e tornou Lula livre para concorrer a um terceiro mandato. Desde então, o petista tornou-se, extraoficialmente, pré-candidato ao Palácio do Planalto e lidera as pesquisas de intenção de voto.

Para 2022, o PT tem a vitória de Lula como prioridade máxima, mas tem articulado palanques nos Estados com o objetivo de aumentar sua bancada na Câmara dos Deputados, favorecendo a governabilidade em um eventual governo petista.

Pesquisas

A aliança com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, que deverá compor a chapa ao lado de Lula, é um dos indicativos do ex-presidente de que precisará estender as conversas para integrantes de outras correntes ideológicas além da esquerda, como tem defendido publicamente.

O próprio Lula tem repetido que não deseja ser candidato do PT ou da esquerda somente, mas sim de “um movimento” mais amplo. Na última pesquisa do Instituto DataFolha, divulgado em dezembro, Lula marcou 48% ante 22% de Bolsonaro. Em pesquisas mais recentes, no entanto, Bolsonaro aparece com leve crescimento.

A avaliação entre petistas é que é preciso que o ex-presidente comece um giro pelos Estados para mostrar que será candidato neste ano e se consolidar como líder das pesquisas. Para isso, a sua presença nas regiões do país seria importante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code