Lula quer ver consolidada união aduaneira entre países do Mercosul

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 18 de junho de 2003 as 13:52, por: CdB

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer ver consolidada até 2006 a união aduaneira entre os países do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Ao discursar na XXIV Reunião de Cúpula do bloco econômico, Lula propôs que os quatro países do Cone Sul se comprometam com uma “seqüência de passos” para que os objetivos do projeto inicial do Mercosul possam ser atingidos.

Entre as medidas para transformar o bloco em união aduaneira, o presidente defendeu como elemento principal o aperfeiçoamento da Tarifa Externa Comum (TEC). O presidente também sugeriu a mobilização de recursos financeiros para apoio ao processo de maior integração regional e ressaltou a decisão do Brasil de estimular parcerias no Mercosul com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

– O processo de construção do mercado comum não poderá ser, exclusivamente, dos governos e dos setores empresariais interessados nas vantagens da maior liberalização comercial na região. O debate aberto é indispensável. Temos que fazer um Mercosul democrático, participativo. É esse Mercosul que nossas populações querem – enfatizou.

Outro desejo expresso pelo presidente na reunião foi o estreitamento das relações entre os governos regionais para projetos sociais. Na avaliação de Lula, a fome, a pobreza e a deterioração social representam problemas comuns para países do Cone Sul.