Lula ressalta necessidade de conter o presidente, para salvar vidas dos brasileiros

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 26 de março de 2021 as 16:00, por: CdB

O Brasil segue como epicentro da covid no mundo, com média diárias de novos casos por volta de 100 mil pessoas adoecidas. As vítimas brasileiras representam, nesta semana, um terço de todas as mortes pela infecção no mundo.

Por Redação, com RBA – de São Paulo

“Durante um ano ele não levou o vírus a sério e nos contou mentiras. Durante um ano ele provocou todos os que não concordavam com ele. Se tivesse um pouco de grandeza, ele deveria pedir perdão às famílias dos 300 mil mortos por covid e dos milhões de infectados.” 

Na entrevista à TVT, Lula admite que faltou coragem à direção do PT para enfrentar a onda fascista que assola o país
Na entrevista à revista alemã Der Spiegel, Lula voltou a apontar a existência de uma onda fascista e a necessidade de enfrentá-la, o quanto antes

A frase é do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista à revista alemã Der Spiegel, nesta sexta-feira, na qual o líder petista não poupou críticas ao atual presidente Jair Bolsonaro.

— Na terça-feira, 3.158 pessoas morreram por covid no Brasil. Este é o maior genocídio de nossa história. Nossa atenção não deve estar nas eleições do próximo ano, e sim na luta contra o vírus e na vacinação da população. Temos que salvar o Brasil do coronavírus — destacou Lula.

O Brasil segue como epicentro da covid no mundo, com média diárias de novos casos por volta de 100 mil pessoas adoecidas. As vítimas brasileiras representam, nesta semana, um terço de todas as mortes pela infecção no mundo.

Negacionismo

Enquanto a comunidade internacional observa queda nos casos e vítimas, o Brasil segue no caminho oposto. Além do represamento de dados dos últimos dias, soma-se a isso uma intensa subnotificação, já que o Brasil testa pouco e mal. De acordo com cientistas, os números reais podem ultrapassar a casa dos 410 mil mortos.

— Um presidente não pode saber tudo, mas ele (Bolsonaro) deveria ter a humildade de consultar pessoas que sabem mais do que ele — disse Lula que voltou ao cenário eleitoral após decisão do Supremo Tribunal Federal, sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro.

À Der Spiegel, Lula ressaltou o negacionismo de Bolsonaro, cobrando que o presidente deveria se reunir com cientistas, médicos, governadores e ministros de Saúde para traçar um plano para derrotar a covid. Lula disse que, mesmo agora usando máscara – o que Bolsonaro passou a fazer após entrevista coletiva em que o petista falou sobre o assunto –, o ex-capitão não leva a covid a sério.

— Ele não acredita nas vacinas, gastou uma fortuna em um medicamento chamado hidroxicloroquina, embora tenha sido demonstrado que não servia. É nossa responsabilidade, como brasileiros, parar este homem e restaurar a democracia no país. Nunca em nossa história tivemos um presidente tão irresponsável — declarou Lula.

Outra vitória

Ainda nesta sexta-feira, a 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que a construtora OAS e a Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) restituam integralmente as parcelas pagas pela ex-primeira-dama Marisa Letícia na compra de um triplex no Guarujá (SP). Trata-se de mais uma vitória de Lula no campo judicial.

O suposto recebimento de um triplex no edifício como propina paga pela OAS em troca de vantagens em contratos com a Petrobras foi central na sentença do juiz Sérgio Moro, que manteve Luiz Inácio Lula da Silva preso de abril de 2018 a novembro de 2019.

Em março deste ano, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, anulou todos os atos processuais da Lava Jato de Curitiba (PR) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Sem provas

A defesa do ex-presidente sempre afirmou que o apartamento de três quartos no condomínio Solaris, no Guarujá, tinha sido adquirido legalmente, mas que com a desistência de compra por dona Marisa, nem ela nem Lula usufruíram do imóvel.

Ao apreciar o caso, o TJ de São Paulo confirmou que dona Marisa desistiu da aquisição do imóvel e disse não existir evidência de que Marisa ou seus familiares usufruíram do apartamento e que a devolução dos valores se justifica pelo atraso na entrega.

— Não há prova nos autos de que, em algum momento, a autora tivesse recebido a posse do imóvel ou de que ele tivesse sido disponibilizado em seu favor — disse, durante seu voto, a relatora do processo, desembargadora Mônica de Carvalho.

Falência

Em 2019, o juiz Adilson Aparecido Rodrigues Cruz, da 34ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, já havia condenado a empresa OAS e cooperativa  a devolver ao ex-presidente Lula 66% do valor desembolsado pela ex-primeira-dama Marisa Letícia na aquisição de um apartamento.

Em 2005, dona Marisa comprou da Bancoop cota-parte do apartamento 141 do então Edifício Navia. Em novembro de 2015, em razão do atraso na entrega da obra e da falência da Bancoop, a ex-primeira dama desistiu da compra e pediu a devolução dos valores pagos.