Luta contra terror deixa três feridos na Holanda

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 10 de novembro de 2004 as 11:21, por: CdB

Suspeitos de atos terroristas atiraram uma granada contra as forças de segurança holandesas nesta quarta-feira durante uma perseguição, ferindo três policiais. Essa foi o último episódio de uma espiral de violência que atingiu o país depois do assassinato de um renomado cineasta.

As autoridades não quiseram dizer se a operação, que ainda estava em andamento – os suspeitos continuavam refugiados em um prédio de Haia isolado pela polícia – estava ligada à morte do diretor de cinema Theo Van Gogh, supostamente assassinado na semana passada por ativistas islâmicos.

Han Moraal, uma autoridade do governo, disse em uma entrevista coletiva que os três policiais foram feridos quando os suspeitos atiraram uma granada contra eles. Tiros também foram disparados, contou.

Um número não determinado de acusados estava abrigado no prédio de um bairro pobre da cidade. Dois dos policiais continuavam hospitalizados, enquanto o terceiro recebeu alta e já voltou para casa.

Segundo uma testemunha, havia cerca de 200 policiais no local, entre os quais franco-atiradores posicionados no alto dos prédios. As forças de segurança suspeitam que haja explosivos dentro do prédio, disse um canal TV holandês.

A operação na Holanda lembrou a realizada na Espanha em abril, quando três acusados de participação nos atentados a bomba de Madri mataram-se com explosivos depois que a polícia os cercou em um apartamento. Um policial também morreu naquela operação.

Até agora a Holanda prendeu dez pessoas em meio às investigações sobre a morte de Van Gogh. O diretor de cinema deixou os muçulmanos indignados devido a duras críticas ao Islã. Dos detidos, seis ainda continuam em poder das forças de segurança holandesas.

O país europeu parece ter sido palco de várias ações de represália depois da morte do diretor de cinema, entre as quais o incêndio de uma escola muçulmana na terça-feira à noite. Um grupo islâmico pouco conhecido prometeu na terça-feira realizar ataques se as agressões contra os prédios muçulmanos não parassem.

Mais de dez mesquitas e igrejas foram alvo de ações incendiárias desde a morte de Van Gogh, que recebeu tiros e facadas quando andava de bicicleta por Amsterdã, na semana passada.
Na Holanda vivem cerca de 1 milhão de muçulmanos, o que corresponde a cerca de 6 por cento de sua população.