Luxemburgo ressalta que não tem culpa da queda do Bahia

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado domingo, 14 de dezembro de 2003 as 22:51, por: CdB

O Cruzeiro venceu o Bahia, na tarde deste domingo, confirmando a sua superioridade no Campeonato Brasileiro de 2003. Aliás, com os sete gols marcados diante da equipe nordestina, a equipe atinge a marca dos 100 pontos e 102 gols, recordes absolutos em uma mesma edição da competição.

O técnico Vanderlei Luxemburgo, após a partida, ressaltou que não se sentia responsável pela queda do Bahia para a segunda divisão. O treinador voltou a declarar, inclusive, que a culpa pela queda foi a falta de planejamento.

– Depois que acabou a partida contra o Paysandu, eu já havia dito que não tínhamos compromisso com ninguém, a não ser com o próprio Cruzeiro. Os treinadores das equipes que lutavam contra o rebaixamento é que tinham que se preocupar com a queda para a segunda divisão. E então deixei meus jogadores bem leves para isso, sem preocupação, mas com a responsabilidade de terminarmos a competição com dignidade.

Em sua análise sobre a temporada e sobre o Campeonato Brasileiro, Luxemburgo lembrou a importância das vitórias obtidas fora de casa e de se jogar sempre buscando os resultados positivos.

– O Cruzeiro está de parabéns. Nós sempre trabalhamos forte. E o Campeonato Brasileiro não é ganho dentro de casa, mas sim fora. Nós temos que jogar sempre para vencer. Se você fizer a conta, cinco empates são cinco pontos, mas duas vitórias já representam seis pontos – disse Luxemburgo.

O treinador do clube mineiro voltou a alfinetar os cartolas do futebol brasileiro que querem acabar com o sistema de pontos ocorridos adotado neste Campeonato Brasileiro. De acordo com Luxemburgo, muitos dirigentes estão com medo de suas equipes caírem para a segunda divisão.

– Tem muita gente brigando para acabar com os pontos corridos. E a preocupação deles nem é não a de ganhar títulos, mas sim a preocupação de não caírem para a segunda divisão. Eles não querem moralizar o esporte. Independentemente, entramos com méritos para a história do futebol brasileiro – declarou.