Lyft desafia Uber com imagem de ‘bom moço’

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 29 de março de 2019 as 11:41, por: CdB

A Lyft superou as expectativas do mercado com sua oferta pública inicial (IPO) na quinta-feira, levantando US$ 2,34 bilhões e obtendo uma avaliação de US$ 24 bilhões.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Bogotá

A Lyft tem desafiado sua maior rival Uber durante anos cultivando uma imagem de cuidar mais de seus motoristas, pilotos e do meio ambiente. Ao estrear no mercado de ações nesta sexta-feira, a empresa espera convencer os investidores de que a imagem de “bom moço” será recompensada.

Executivos da Lyft no dia em que a empresa estreou no Nasdaq, em Los Angeles

– Nos primeiros dias, as pessoas entenderam mal: ‘Ah, vocês são os caras legais. Vocês vão ser esmagados por um rival mais competitivo – disse o presidente e co-fundador da Lyft, John Zimmer à Reuters.

– Nós dissemos: Não, somos muito competitivos, mas tratamos bem nossos funcionários, tratamos bem nossos motoristas, tratamos as comunidades locais com as quais trabalhamos com respeito, o que também é muito bom para os negócios.

A Lyft superou as expectativas do mercado com sua oferta pública inicial (IPO) na quinta-feira, levantando US$ 2,34 bilhões e obtendo uma avaliação de US$ 24 bilhões.

Alguns dos ganhos do Lyft são devidos aos problemas da Uber. Esta última ainda está se recuperando de uma série de escândalos em 2017, incluindo alegações de assédio sexual feitas por funcionárias do sexo feminino, a demissão forçada de seu presidente-executivo e a saída de outros executivos sêniores e seu uso de software ilícito para enganar reguladores.

A campanha #DeleteUber surgiu nas redes sociais. A publicidade negativa ajudou a Lyft a atrair novos motoristas e clientes sem gastar muito em marketing.

Estados Unidos

A Lyft, que opera nos Estados Unidos e em algumas cidades canadenses, também impulsionou sua participação de mercado, adicionando mais de 100 novas cidades desde 2017. A empresa tinha como alvo millennials socialmente conscientes que estão preocupados em prejudicar o meio ambiente ao possuir um carro.

– Nós apenas arranhamos a superfície para ajudar a mudar o mundo de um modelo de propriedade de carro para um modelo de transporte como serviço – disse Logan Green, presidente-executivo da Lyft, que também é co-fundador da empresa.

A marca da Lyft como uma alternativa mais cuidadosa à Uber data do seu lançamento em 2012. Ela pegou emprestadas as estratégias de marketing da Southwest Airlines e do Starbucks, na esperança de se mostrar simpática e centrada no cliente.

Amazon Web Services

A Amazon Web Services (AWS), uma unidade da Amazon.com, anunciou na quinta-feira que abrirá um centro de infraestrutura para América Latina na Colômbia e ajudará a treinar 2 mil estudantes em tecnologia de nuvem.

A empresa fará uma parceria com o instituto de ensino técnico público da Colômbia para treinar estudantes em computação em nuvem, disse Jeffrey Kratz, gerente geral do setor público da AWS para a América Latina, Caribe e Canadá, em um comunicado do governo.

Kratz, em Bogotá para uma conferência de tecnologia, disse que a Amazon quer apoiar o desenvolvimento da infraestrutura digital e ajudar os empreendedores a criar projetos de grande escala. Ele disse que a empresa continuará investindo na Colômbia, apesar de não fornecer mais detalhes.

– Estamos animados para continuar investindo no sucesso da América Latina – disse Kratz à agência inglesa de notícias Reuters. “Esse investimento garantirá que os clientes tenham as ferramentas e os serviços para continuar inovando em busca de uma experiência positiva do usuário”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *