Maduro declara vitória sobre golpe de Estado liderado pela ultradireita

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 23 de fevereiro de 2019 as 15:50, por: CdB

Apoiado por mais da metade dos eleitores e com suporte militar assegurado, Maduro segue adiante na sua Presidência e chama seu opositor Juan Guaidó de ‘palhaço’.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Caracas

 

Em pronunciamento a uma multidão, na capital venezuelana, o presidente Nicolás Maduro declarou vitória sobre a tentativa de golpe levada adiante por setores da ultradireita, comandada por Juan Guaidó, autodeclarado presidente interino ao longo dos últimos 30 dias. O prazo final para convocação das eleições presidenciais terminou, neste sábado, sem que fossem sequer convocadas.

Maduro falou a uma multidão e declarou vitória sobre o golpe de Estado liderado por Juan Guaidó
Maduro falou a uma multidão e declarou vitória sobre o golpe de Estado liderado por Juan Guaidó

— Onde está a convocação da eleição presidencial, se supostamente é um presidente interino. Estamos esperando. Palhaço. Fantoche. Títere do imperialismo (norte-)americano. Mendigo do imperialismo. Também me pergunto se ele é presidente, onde estão as medidas econômicas e sociais, o conselho de ministro. É um jogo para enganar, manipular. Um jogo fracassado de antemão. O golpe de Estado fracassou. A vitória nos pertence — afirmou Maduro.

Povo da fronteira

Apoiado por mais da metade dos eleitores e com suporte militar assegurado, Maduro segue adiante na sua Presidência. Com a chegada de Chávez ao governo, em 1999, a Venezuela usou parte das receitas do petróleo na primeira década dos anos 2000 para renovar as Forças Armadas, com tecnologia russa e chinesa, principalmente.

— Fracassaram. E o que vão fazer agora? — o público grita: “presos!”, durante a manifestação.

Recentemente, o governo russo de Vladimir Putin voltou a se fazer presente em dezembro do ano passado, com o enviou à Venezuela de dois modernos bombardeiros. Os aviões são capazes de transportar armas nucleares, os Tu-160. Maduro segue no comando das Forças Armadas.

— Todo processo tem seu dia e sua hora. Vai haver Justiça na Venezuela. Ouçam. Ontem e hoje, fizeram um show e perturbaram a vida do nobre povo da fronteira. Levaram o crime organizado ao vilarejo. Queimaram um ônibus. Já identificamos os quadrilheiros e eles vão responder por isso. Vão presos, compadres — garante.

Venezuela

Ainda em seu discurso, Maduro denuncia a tentativa de invasão do país, por parte dos EUA.

— Ontem me vi forçado a fechar as pontes até um novo aviso. Por trás dessa comida podre que chamam de ajuda humanitária, tentam tapar a cara do monstro de Donald Trump, que tenta acabar com a democracia na Venezuela. Traidores, hoje e para sempre — acrescentou.

Com um arsenal de alto nível, Maduro diz que manterá, com sua vida se necessário, “a integridade da nossa pátria”.

— Há uma tentativa de humilhar a Venezuela. O plano foi revelado. E quem revelou foi o próprio Donald Trump. Ele está contemplando uma invasão militar à Venezuela. Façam um chamado à consciência, a rechaçar as ameaças e levantar a bandeira da paz. Chamo à responsabilidade mundial. Chegou a hora de se levantar as vozes valentes. Chegou a hora do nosso povo dizer: ‘tire as mãos da Venezuela — concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *