Mandatário neofascista, Bolsonaro é acusado de genocídio, em Haia, por disseminar vírus

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sábado, 28 de março de 2020 as 16:40, por: CdB

Ciro Gomes aponta, na ação judicial, atrocidades cometidas por Bolsonaro desde que a pandemia de coronavírus se instalou, no Brasil. O mandatário neofascista, em inúmeras situações, tenta reduzir o impacto letal do vírus Sars-CoV-2, que deixa um rastro de mortes ao redor do mundo.

Por Redação – de São Paulo

Professor de Direito e ex-ministro, o possível candidato à sucessão presidencial Ciro Gomes (PDT) anunciou, em mensagens pelas redes sociais, neste sábado, que está pronto a denunciar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) junto ao Tribunal Internacional de Justiça, em Haia, na Holanda, por crimes cometidos contra a população brasileira e a humanidade. “Vamos levar ele a responder pelo que está fazendo no Tribunal de Haia, como genocida”, afirmou.

Ciro Gomes ingressa com ação na Corte Internacional de Haia, em que acusa o mandatário neofascista Jair Bolsonaro de ‘genocida’

Ciro Gomes aponta, na ação judicial, atrocidades cometidas por Bolsonaro desde que a pandemia de coronavírus se instalou, no Brasil. O mandatário neofascista, em inúmeras situações, tenta reduzir o impacto letal do vírus Sars-CoV-2, que deixa um rastro de mortes ao redor do mundo. Para o líder da ultradireita, no entanto, a doença seria “apenas uma gripezinha”.

Neste sábado, a campanha apoiada por Bolsonaro: “O Brasil não pode parar”, peça publicitária que investe contra a reclusão social, foi barrada pela Justiça Federal. A produção custou R$ 4,8 milhões ao Erário, sem licitação pública.

Criminoso

O Partido dos Trabalhadores (PT), por sua vez, também apresentou uma nova denúncia contra Bolsonaro à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), instituição vinculada à Organização dos Estados Americanos (OEA) por conduta “irresponsável” e “criminosa” no enfrentamento à pandemia do coronavírus.

O documento, assinado pelo líder do partido na Câmara, Enio Verri (PT-PR), e pelo deputado Paulo Pimenta (PT-RS), foi encaminhado ao secretário-executivo da CIDH, Paulo Abrão.

“Nesse momento de fragilidade e crise política, institucional e sanitária, consideramos que uma declaração de apoio da Comissão Interamericana de Direitos Humanos seria relevante”, afirmam, no documento.

Na denúncia, os petistas sublinham que Bolsonaro adota “conduta criminosa que expõe a danos graves a integridade física e mental da população brasileira”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *