Manifestantes interrompem trens de Londres

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de outubro de 2019 as 11:41, por: CdB

Ativistas contra a mudança climática interromperam os serviços de trem de Londres nesta quinta-feira, provocando um tumulto entre passageiros.

Por Redação, com Reuters – de Londres/Barcelona

Ativistas contra a mudança climática interromperam os serviços de trem de Londres nesta quinta-feira, provocando um tumulto entre passageiros revoltados e um manifestante que subiu no teto de um trem do metrô de Londres no horário de pico.

Manifestação do Extinction Rebellion paralisa trem de Londres
Manifestação do Extinction Rebellion paralisa trem de Londres

O grupo Extinction Rebellion está na segunda semana de uma nova campanha de desobediência civil que visou edifícios do governo, um aeroporto local e instituições financeiras como a BlackRock para enfatizar a ameaça do aquecimento global.

Manifestantes disseram que querem chamar atenção para a perda abrangente de vidas humanas, a extinção em massa de espécies e a ameaça a cadeias alimentares previstas por cientistas a menos que o mundo se prontifique a cortar as emissões de carbono e restaurar ecossistemas em colapso.

– Estou fazendo isso principalmente por meus netos – disse Phil Kingston, de 83 anos, que se colou a um trem da Docklands Light Railway na estação de Shadwell, no leste de Londres, e que já foi preso diversas vezes em protestos anteriores. “Estou aqui para tocar um sino de alarme, para despertar as pessoas e pedir que abram os olhos”.

O plano de deter os trens foi rejeitado por muitos ativistas do Extinction Rebellion que temeram que a ação mine a simpatia dos londrinos, já muito divididos a respeito da estratégia desestabilizadora do grupo.

Imagens mostraram manifestantes abrindo um cartaz no topo de um vagão de trem do metrô de Londres em Canning Town, e em seguida passageiros em uma plataforma cheia começando a insultar e jogar comida em um deles.

Depois o manifestante tentou afastar com um chute um passageiro que subiu no vagão para retirá-lo. Após uma briga curta, o ativista foi arrastado para a plataforma, onde foi engolido por uma multidão que gritava e atirava objetos até um funcionário do metrô intervir para restaurar a ordem.

Transportes

A Polícia dos Transportes britânica disse que quatro prisões foram efetuadas em estações de Stratford e Canning Town, e equipes especializadas estavam trabalhando para retirar quatro outros manifestantes de uma estação da Shadwell Docklands Light Railway (DLR).

A Prefeitura de Londres, a polícia e passageiros criticaram o Extinction Rebellion por transtornar o transporte público.

O grupo, que se tornou famoso em abril, quando ocupou quatro locais de Londres durante 11 dias, quer que governos cedam o poder a “Assembleias de Cidadãos” para que estas concebam mudanças econômicas e sociais e combatam a mudança climática.

Líder da Catalunha

A Catalunha deveria realizar outro referendo sobre a independência do restante da Espanha dentro de dois anos, disse o líder do governo da região nesta quinta-feira, em um novo desafio ao governo de Madri após dias de tumultos provocados por manifestantes pró-separatistas.

Quase 100 pessoas ficaram feridas em toda a região do nordeste do país na quarta-feira, o terceiro dia de violência desde que a Suprema Corte da Espanha condenou nove líderes catalães a penas de prisão longas em reação à sua tentativa de independência fracassada de 2017.

Carros e latões de lixo foram incendiados na capital catalã, Barcelona, de madrugada, e a polícia disse ter prendido 12 pessoas na cidade durante alguns dos piores episódios de violência vistos na Espanha em anos, que provocaram ondas de choque na política nacional.

O Ministério do Interior disse que enviará reforços, já que há novos protestos programados para a sexta-feira, dia para o qual sindicatos convocaram uma greve e manifestantes devem convergir em Barcelona, uma das principais cidades turísticas da Europa.

Discursando ao Parlamento catalão, o líder regional pró-independência, Quim Torra, criticou os distúrbios, dizendo que a causa separatista é um movimento pacífico.

Mas ele também instou o movimento a levar adiante a iniciativa secessionista hoje suspensa, afirmando que “de jeito nenhum” algum tribunal o impedirá de adotar medidas para a independência.

– Se todos os partidos e grupos o tornarem possível, temos que ser capazes de finalizar este mandato legislativo validando a independência – disse Torra, acrescentando que as penas anunciadas na segunda-feira não impedirão os separatistas de realizar um novo referendo. “Voltaremos às urnas novamente pela autodeterminação”.

Torra pediu que uma Constituição seja elaborada para a Catalunha na primavera de 2020, o que pode abrir caminho para uma votação antes de a legislatura se encerrar, em dezembro de 2021.

Os principais partidos da Espanha vêm se recusando continuamente a realizar um referendo de independência da Catalunha, mas os socialistas governistas dizem estar abertos a um diálogo sobre outras questões.

Na quarta-feira, o Tribunal Constitucional alertou as autoridades catalãs para as conseqüências legais se estas violarem a lei pleiteando a independência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *