Manifestantes invadem Embaixada norte-americana no Iraque

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 31 de dezembro de 2019 as 10:49, por: CdB

O embaixador dos EUA no Iraque, Matthew H. Tueller, e sua equipe foram evacuados das instalações da embaixada, enquanto centenas de pessoas protestavam em frente ao edifício.

Por Redação, com Sputnik – de Bagdá

Manifestantes iraquianos invadiram nesta terça-feira a Embaixada dos EUA em Bagdá, após a potência norte-americana ter realizado ataques aéreos no país.

Manifestantes iraquianos invadiram a Embaixada dos EUA em Bagdá
Manifestantes iraquianos invadiram a Embaixada dos EUA em Bagdá

O embaixador dos EUA no Iraque, Matthew H. Tueller, e sua equipe foram evacuados das instalações da embaixada, enquanto centenas de pessoas protestavam em frente ao edifício.

As manifestações seriam uma reação aos ataques aéreos norte-americanos realizados contra bases da milícia xiita Kataib Hezbollah (KH), reportou à agência inglesa de notícias Reuters citando fontes no Ministério das Relações Exteriores do Iraque.

Os manifestantes conseguiram entrar na embaixada após forçar a porta principal e colocar fogo na área de recepção do edifício. De acordo com relatos, alguns membros da equipe de segurança da embaixada permanecem no local. Nesta terça-feira, grupos de manifestantes com bandeiras do grupo libanês Hezbollah foram vistos na capital iraquiana.

Para chegar a essa área da Zona Verde é necessário passar por diversos postos de controle de segurança rigorosos, mesmo depois da abertura parcial da Zona Verde, mas ao que tudo indica ninguém resistiu a esses manifestantes.​ O presidente dos EUA, Donald Trump, em sua conta no Twitter, acusou o Irã de estar por trás da invasão da Embaixada e instou as forças iraquianas a defenderem a Embaixada dos EUA em Bagdá.

Ataques dos EUA

Washington justificou a realização dos ataques, alegando que a milícia xiita havia atacado bases das forças de coalizão. Quatro militares ficaram feridos e um cidadão dos EUA morreu como consequência dos ataques.

O Kataib Hezbollah teria anunciado que 25 de seus combatentes morreram e dezenas ficaram feridos após os ataques aéreos dos EUA.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, por sua vez, condenou a ação militar dos EUA, que qualificou como “exemplo claro de terrorismo”.

Teerã também negou envolvimento no ataque contra bases das forças da coalizão em território iraquiano.