Manifestantes israelenses pedem renúncia de Netanyahu

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018 as 13:48, por: CdB

Netanyahu, de 68 anos, nega qualquer irregularidade nos dois casos e disse que as investigações policiais não darão em nada. Agora cabe ao procurador-geral determinar se o acusa ou não

Por Redação, com Reuters – de Tel Aviv:

Manifestantes israelenses se reuniram em Tel Aviv nesta sexta-feira para pedir a renúncia do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, depois que a polícia recomendou que ele seja acusado de ter recebido subornos em dois casos de corrupção.

Manifestantes protestam pela renúncia do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em Tel Aviv

Na terça-feira a polícia disse haver indícios suficientes para denunciar Netanyahu; impondo ao premiê, atualmente em seu quarto mandato; um dos maiores desafios ao seu longo domínio na política de Israel.

Netanyahu, de 68 anos, nega qualquer irregularidade nos dois casos e disse que as investigações policiais não darão em nada. Agora cabe ao procurador-geral determinar se o acusa ou não.

Entre 1.000 e 1,2 mil manifestantes se reuniram em uma praça de Tel Aviv; alguns com cartazes dizendo “corruptos, vão para casa” e “ministro do crime”.

– Achamos que o primeiro-ministro deveria se desqualificar imediatamente e renunciar – disse Shlomit Bar; professor de música aposentado de 63 anos. “Ele não pode mais ser o primeiro-ministro de Israel”.

A coalizão

O premiê não tem a obrigação legal de deixar o cargo em tais casos, a menos que seja condenado em um tribunal. A coalizão de governo de direita de Netanyahu parece estável por ora, já que parceiros essenciais disseram que esperarão a decisão do procurador-geral.

– Do ponto de vista moral, é uma desgraça para o Estado de Israel que um primeiro-ministro seja suspeito de crimes tão graves – opinou Oren Simon, um dos manifestantes. “Ele deveria ir para casa. Chega”.

Uma pesquisa publicada na quarta-feira mostrou que quase metade do eleitorado do país acredita na polícia, e não em Netanyahu.

A sondagem, divulgada no canal de televisão Reshet, revelou que 49 por cento dos entrevistados se inclinou para a versão policial, segundo a qual Netanyahu agiu de forma inadequada. Vinte e cinco por cento disseram acreditar no premiê, e os restantes 26 %  disseram não saber em quem acreditar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *