Manifestantes voltam às ruas de Porto Alegre pelo ‘Fora Bolsonaro’

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 14 de julho de 2021 as 14:16, por: CdB

Milhares de pessoas voltaram às ruas para gritar “Fora Bolsonaro”, na noite de terça-feira, no Centro de Porto Alegre. A manifestação, que também pediu um basta às privatizações, foi um “esquenta” para o quarto dia nacional de mobilização marcado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, no próximo dia 24 de julho.

Por Redação, com Brasil de Fato – de Brasília

Milhares de pessoas voltaram às ruas para gritar “Fora Bolsonaro”, na noite de terça-feira, no Centro de Porto Alegre. A manifestação, que também pediu um basta às privatizações, foi um “esquenta” para o quarto dia nacional de mobilização marcado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, no próximo dia 24 de julho.

Ato percorreu as ruas centrais da capital gaúcha

A mobilização reforçou a luta por vacina já para todos e todas, auxílio emergencial de R$ 600, emprego, contra as privatizações, não à reforma administrativa e impeachment já. Moradores de vários edifícios foram às janelas dos seus apartamentos para aplaudir os protestos.

A concentração aconteceu no Largo Glênio Peres, a partir das 18h, de onde os manifestantes saíram em caminhada. O ato passou pela agência central dos Correios na Capital, na rua Siqueira Campos, para um abraço simbólico ao prédio, em repúdio ao projeto de lei nº 591/21, do governo Bolsonaro, que prevê a privatização da estatal.

– É muito importante que o povo esteja na rua, mais uma vez, fazendo um esquenta para o 24J. Principalmente porque o tema dessa mobilização de hoje são as privatizações. E nós sabemos que a intenção do governo Bolsonaro, com a pandemia, é de passar a boiada, como disse o ex-ministro Salles – destacou o vice-presidente da CUT-RS, Everton Gimenis.

Avanço das privatizações

O dirigente sindical também denunciou o avanço das privatizações em nível municipal e estadual, lembrando do projeto de lei que autoriza a privatização da Corsan, enviado em regime de urgência pelo governador Eduardo Leite (PSDB) para Assembleia Legislativa. Ele aproveitou para fazer o convite para a participação no lançamento do Comitê do Plebiscito Popular, que ocorreu nesta quarta-feira.

Os manifestantes seguiram pela Avenida Borges de Medeiros, com pronunciamentos de movimentos populares, centrais sindicais e partidos de esquerda no carro de som. A caminhada terminou no Largo Zumbi dos Palmares, o tradicional ponto de encerramento das manifestações democráticas em Porto Alegre.

A mobilização aconteceu também em diversas cidades do país, impulsionada pela adesão da população no ato do dia 3 de julho e pelas constantes denúncias de corrupção envolvendo o governo Bolsonaro. Além disso, as últimas pesquisas divulgadas apontam aumento recorde da rejeição ao presidente e incentivam a pressão pelo impeachment.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code