Marcas internacionais suspendem compra de couro brasileiro

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de agosto de 2019 as 13:19, por: CdB

Presidente da Centro das Indústrias de Curtume do Brasil (CICB) enviou carta ao ministro Ricardo Salles pedindo atenção ao caso.

Por Redação, com Agências de Notícias – do Rio de Janeiro

Marcas internacionais como Timberland, Vans e Kipling (famosas no mercado brasileiro), suspenderam a compra de couro brasileiro, reação ao desmatamento na região Amazônica. A situação é reflexo das atual situação ambiental brasileira e das últimas declarações do presidente Jair Bolsonaro.

Marcas internacionais de sapatos estão fazem parte do grupo de empresas que decidiram suspender a exportação do couro brasileiro

Uma carta enviada pelo presidente da Centro das Indústrias de Curtume do Brasil (CICB), José Fernando Bello, ao minsitro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, diz que a notícia foi recebida com muita preocupação pelo setor.

“Recentemente, recebemos com muita preocupação o comunicado de suspensão de compras de couros a partir do Brasil de alguns dos principais importadores mundiais. Este cancelamento foi justificado em função de notícias relacionando queimadas na região amazônica ao agronegócio do país”, disse o documento.

Ainda na carta, José Fernando Bello pediu ao ministro que seja dada atenção especial a questão e destacou que o país exporta mais de 80% da produção de couro.

O grupo de marcas que resolveram boicotar o couro nacional é formado por: Timberland; Vans; Kipling;Dickies;Kodiak;Terra;Walls;workrite;Eagle Creek;Eastpack;The North Face; Napapijri;Bulwark;Altra;Icebreaker;Samrtwol e lHorace Small.

Mercosul e UE: acordo comercial pode estar ficar pronto até o fim de 2020
O Brasil está sob pressão de países europeus devido a suas políticas ambientais, em particular a forma de lidar com os incêndios na Amazônia.

Neste mês a Finlândia sugeriu que o G7 avaliesse a possibilidade de banir a carne bovina do Brasil devido à devastação causada pelas queimadas na Amazônia. “O ministro das Finanças, Mika Lintila, condena a destruição da Floresta Amazônica e sugere que a UE e a Finlândia devem considerar urgentemente a possibilidade de banir a importação de carne bovina brasileira”, informou o Ministério das Finanças em um comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *