May enfrenta voto de desconfiança após derrota histórica no Parlamento

Arquivado em: Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 16 de janeiro de 2019 as 10:34, por: CdB

Parlamentares votaram por 432 a 202 contra o acordo, na pior derrota do governo na história moderna do Reino Unido, desencadeando um caos político que pode levar a uma saída desordenada da União Europeia ou até à reversão da decisão de deixar o bloco.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O governo da primeira-ministra britânica, Theresa May, enfrenta nesta quarta-feira um voto de desconfiança depois que seu acordo para o Brexit sofreu uma derrota esmagadora no Parlamento, elevando a incerteza sobre a saída do Reino Unido da União Europeia apenas 10 semanas antes do prazo para a separação.

Premiê brittânica, Theresa May, no Parlamento

Na terça-feira, parlamentares votaram por 432 a 202 contra o acordo, na pior derrota do governo na história moderna do Reino Unido, desencadeando um caos político que pode levar a uma saída desordenada da União Europeia ou até à reversão da decisão de deixar o bloco.

Brexit

Com a aproximação do dia 29 de março, data estabelecida oficialmente para o Brexit, o Reino Unido se vê em meio à mais profunda crise política do país em meio século, à medida que luta para determinar como, ou até se, irá deixar o bloco.

Após a primeira derrota de um tratado no Parlamento desde 1864, o líder do opositor Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, convocou um voto de desconfiança contra o governo de May, que será realizado às 17h desta quarta-feira (horário de Brasília).

O pequeno Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte (DUP), que apoia o governo minoritário de May e que se recusou a aceitar o acordo da premiê, disse que irá apoiá-la na votação de desconfiança. Conservadores pró-Brexit também se manifestaram a favor de May.

Após a rejeição do acordo, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse que a maior probabilidade é que aconteça um Brexit desordenado, enquanto Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, sugeriu que o Reino Unido considere reverter totalmente o Brexit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *