Médico e mãe prestam novos depoimentos no Rio

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de julho de 2018 as 16:48, por: CdB

Ambos foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa e tiveram as prisões provisórias decretadas. Se for condenado, o médico poderá pegar até 36 anos de prisão

Por Redação, com agências de notícias – do Rio de Janeiro:

O médico Denis César Furtado e a mãe, Maria de Fátima Furtado, permaneceram detidos na 16ª DP (Barra da Tijuca), onde prestaram novos depoimentos nesta sexta-feira. Os dois passaram a madrugada sendo interrogados na delegacia.

O médico Denis César Furtado e a mãe, Maria de Fátima Furtado

A delegada responsável pelo caso, Adriana Belém, vai confrontar os depoimentos de Denis, Maria de Fátima e da namorada, Renata Fernandes, com o das testemunhas ouvidas.

O advogado da dupla, Marcus Cezar Braga, disse que aguarda o laudo médico da necropsia para entender o que de fato aconteceu na noite em que a bancária Lilian Calixto faleceu.

Procedimento estético

O médico, de 45 anos, foi preso na tarde de quinta-feira em um centro empresarial na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A mãe dele, Maria de Fátima Furtado, também foi presa.

Eles foram levados para a16ª Delegacia de Polícia. O médico concedeu entrevista aos jornalistas ao lado da delegada Adriana Belém, e de seu advogado, Marcus Braga.

– Foram requisitados todos os exames compatíveis ao risco cirúrgico. O procedimento foi correto, foi lícito. O que a paciente usou de medicamentos lá no (hospital) Barra D’Or, eu não tenho ciência. Eu tenho certeza de que a minha atuação como médico foi correta – disse Denis, conhecido como Dr.Bumbum e que tem vários seguidores em redes sociais. A bancária, que era de Cuiába e foi ao Rio para a cirurgia, foi atendida no hospital no último sábado e morreu no domingo.

Segundo Denis Furtado, após o procedimento, Lilian estava lúcida e andando. Também sustentou que o seu ambiente de trabalho, a cobertura onde morava e foi feito o procedimento, tinha condições adequadas para cirurgia, chamada de bioplastia. Ao fim da entrevista, declarou: “A justiça será feita”.

Ambos foram indiciados por homicídio qualificado e associação criminosa e tiveram as prisões provisórias decretadas. Se for condenado, o médico poderá pegar até 36 anos de prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *