Melbourne passa a exigir máscaras diante de aumento recorde de casos

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 22 de julho de 2020 as 12:01, por: CdB

Os moradores de Melbourne, a segunda cidade mais populosa da Austrália, terão que usar máscaras quando saírem de casa a partir desta quarta-feira, já que o país registrou um aumento recorde de casos do novo coronavírus.

Por Redação, com Reuters – de Sydney

Os moradores de Melbourne, a segunda cidade mais populosa da Austrália, terão que usar máscaras quando saírem de casa a partir desta quarta-feira, já que o país registrou um aumento recorde de casos do novo coronavírus, e o Estado de Nova Gales do Sul está em “alerta elevado”.

Prmeiro-ministro do Estado de Victoria, na Austrália, Daniel Andrews (ao centro) chega para entrevista coletiva em Melbourne
Prmeiro-ministro do Estado de Victoria, na Austrália, Daniel Andrews (ao centro) chega para entrevista coletiva em Melbourne

A Austrália registrou 501 infecções novas de coronavírus nas últimas 24 horas, número mais alto desde que a epidemia se desencadeou, em março. O número de mortos aumentou em 2 e chegou a 128.

O Estado de Victoria, cuja capital é Melbourne, respondeu pela maioria, 484 casos novos.

É preocupante que mais da metade das pessoas que foram diagnosticadas com o vírus em Victoria entre 7 e 21 de julho, ou mais de 2 mil pessoas, não tenha se isolado, disse o premiê estadual, Daniel Andrews.

– Isso significa que pessoas se sentiram mal e seguiram adiante com a vida – disse Andrews aos repórteres.

– Elas saíram para fazer compras. Foram ao trabalho. Estão no auge da infecciosidade e continuam agindo normalmente.

Andrews alertou que o número de casos manterá uma trajetória ascendente se as pessoas não se autoisolarem depois de serem examinadas.

– E um confinamento de seis semanas não durará seis semanas. Durará muito mais do que isso – disse.

As viagens

As viagens pela divisa entre Victoria e Nova Gales do Sul só serão permitidas para trabalho, estudo ou cuidados médicos, a divisa foi fechada pela primeira vez em 100 anos neste mês.

Empregados e estudantes que cruzarem de um Estado ao outro rumo a internatos ou universidades serão obrigados a se autoisolar durante duas semanas e ter exames negativos para o vírus, e os trabalhadores sazonais de Victoria serão barrados.

Aumento rápido

Melbourne testemunhou um aumento rápido no número de casos de coronavírus nas últimas semanas, e a doença se propagou em muitas casas de repousou e em algumas prisões.

Victoria já registrou mais de 6,7 mil infecções de coronavírus, mais da metade do total da Austrália.

A readoção de medidas para deter a disseminação do vírus no Estado reduzirá 0,75 ponto percentual da produção econômica nacional no terceiro trimestre, disse uma fonte do governo a par das estimativas oficiais.