Menem afirma que nunca deixará a política e que voltará em 2007

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 2 de junho de 2003 as 01:49, por: CdB

O ex-presidente argentino Carlos Menem garantiu, em declarações publicadas neste domingo, pelo jornal chileno La Terceira, que voltará a governar seu país em 2007 e que nunca deixará a política.

– Voltarei a ser presidente em 2007. Os que dizem que minha carreira acabou não me conhecem – disse o ex-candidato presidencial, casado com a apresentadora de televisão Cecilia Bolocco.

Menen ganhou o primeiro turno das eleições presidenciais argentinas, realizadas no dia 27 de abril, mas desistiu de competir no segundo turno, o que deu a vitória a Néstor Kirchner, apontado como o grande favorito do segundo pleito.

Em sua primeira entrevista a um meio de comunicação local durante sua estada no Chile, Menem preferiu não referir-se às primeiras medidas adotadas por Kirchner.

– Espero que façam as coisas certas e que não haja erros a lamentar. Eu cooperarei de onde posso – disse.

Menem também contou que está “trabalhando duro” para retomar seu lugar no Partido Justicialista e que dedicou várias horas do dia para produzir um documento sobre seu trabalho no governo, que apresentará no plenário de seu partido.

Segundo o La Terceira, Menem está disposto a brigar pela presidência do justicialismo contra seu eterno adversário, o ex-presidente Eduardo Duhalde, uma vez que acha que os 24 por cento que obteve no primeiro turno lhe dão apoio suficiente para conseguir a direção do Partido Justicialista (peronista).

A Casa Rosada continua sendo o objetivo do ex-governante, que afirmou que “a política é minha vida, não a deixarei” e que reiterou que enquanto tiver “força para estar na política, nunca perderá as esperanças de voltar a ser presidente”.