Mercado reduz taxa Selic para 2020, indica pesquisa Focus

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 28 de outubro de 2019 as 10:26, por: CdB

A pesquisa geral, realizada com mais de uma centena de economistas e divulgada pelo BC nesta segunda-feira, mostra que a expectativa agora é de que a Selic termine tanto este ano quanto o próximo a 4,5%.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

O mercado reduziu ainda mais suas expectativas para a taxa básica de juros em 2020, com o grupo dos que mais acertam as previsões na pesquisa Focus vendo a Selic a 4%, em meio ao ciclo de afrouxamento do Banco Central.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, vê os juros ainda mais baixos no próximo ano, a 4,0%, de uma expectativa anterior de 4,25%
O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, vê os juros ainda mais baixos no próximo ano, a 4,0%, de uma expectativa anterior de 4,25%

A pesquisa geral, realizada com mais de uma centena de economistas e divulgada pelo BC nesta segunda-feira, mostra que a expectativa agora é de que a Selic termine tanto este ano quanto o próximo a 4,5%. Na semana anterior a estimativa era de Selic a 4,75% em 2020.

Entretanto o Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, vê os juros ainda mais baixos no próximo ano, a 4,0%, de uma expectativa anterior de 4,25%.

O Banco Central reúne-se na quarta-feira para definir os próximos passos da política monetária, com uma expectativa unânime em pesquisa da Reuters de corte de 0,5 ponto percentual, para nova mínima recorde de 5%, em meio às fortes sinalizações do BC de mais afrouxamento.

Para a inflação, a projeção no Focus foi elevada pela primeira vez após 11 semanas de quedas, a 3,29%, de 3,26% antes. A estimativa para a alta do IPCA em 2020, por outro lado, caiu 0,06 ponto percentual, a 3,60%.

O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25% e, de 2020, de 4%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), o mercado vê crescimento em 2019 de 0,91%, contra 0,88% antes, mantendo a perspectiva de expansão de 2,00% em 2020.

Na última semana o mercado voltou a reduzir a expectativa para a taxa básica de juros Selic neste ano, em meio a projeções mais baixas para a inflação em 2019. A expectativa agora é de que a Selic termine 2019 a 4,50%, de 4,75% esperado antes. Assim, a projeção geral se alinha à do Top-5, grupo que mais acerta as previsões, que já havia feito esse movimento no levantamento anterior.

O centro da meta oficial para 2021, a expectativa é que a taxa Selic termine o período em 6,50% ao ano, a mesma previsão há três semanas.

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.