Merkel defende confinamento mais rígido na Alemanha

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 7 de abril de 2021 as 11:35, por: CdB

 

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, apoia os pedidos para um confinamento curto e mais rígido no país para conter a disseminação do coronavírus, em um momento em que a taxa de infecção no país está elevada, disse uma porta-voz do governo nesta quarta-feira.

Por Redação, com Reuters – de Berlim

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, apoia os pedidos para um confinamento curto e mais rígido no país para conter a disseminação do coronavírus, em um momento em que a taxa de infecção no país está elevada, disse uma porta-voz do governo nesta quarta-feira.

Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, fala com a imprensa após reunião na chancelaria em Berlim

A Alemanha está sofrendo para combater uma terceira onda da pandemia de covid-19 e vários líderes regionais pediram um confinamento curto e rígido enquanto o país tenta vacinar mais pessoas.

– Todos os pedidos por um confinamento curto e uniforme estão corretos – disse a vice-porta-voz do governo, Ulrike Demmer, a jornalistas, acrescentando que a Alemanha está vendo um número crescente de pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTIs).

– Precisamos de uma incidência estável abaixo de 100 – disse ela, referindo-se ao número de casos ao longo de sete dias por 100 mil habitantes. A taxa está atualmente em 110,1, de acordo com o Instituto Robert Koch para doenças infecciosas (RKI).

Ela também disse que o governo está analisando a necessidade de medidas nacionais, não somente regionais.

Toques de recolher

– A gama de regulações não ajuda na aceitação – disse Demmer. Enquanto alguns Estados impuseram toques de recolher noturnos durante a Páscoa, outras estão flexibilizando as restrições.

A maioria dos primeiros-ministros dos 16 Estados da Alemanha era contra realizar conversas no dia 12 de abril para decidir qual ação tomar.

O número de casos confirmados de covid-19 na Alemanha subiu em 9.677 nesta quarta-feira, para mais de 2,9 milhões, de acordo com o RKI. A instituição alertou que os dados podem ainda não mostrar o cenário completo, já que nem todos os casos foram registrados durante a Páscoa. Cerca de 77.041 pessoas morreram de covid-19 na Alemanha.