México anuncia honraria a genro de Donald Trump e causa revolta no Twitter

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de novembro de 2018 as 11:46, por: CdB

Kushner, um assessor destacado da Casa Branca, receberá a Ordem da Águia Azteca por “suas contribuições significativas” a um novo acordo comercial norte-americano acertado em agosto, disse o governo em fim de mandato em um comunicado.

Por Redação, com Reuters – da Cidade do México

O governo mexicano anunciou na terça-feira que concederá a maior honraria do país a estrangeiros a Jared Kushner, genro do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma decisão que logo foi atacada por críticos nas redes sociais.

Assessor da Casa Branca Jared Kushner em Washington

Kushner, um assessor destacado da Casa Branca, receberá a Ordem da Águia Azteca por “suas contribuições significativas” a um novo acordo comercial norte-americano acertado em agosto, disse o governo em fim de mandato em um comunicado.

Diversas vezes Kushner desempenhou uma função diplomática crucial no governo Trump, encontrando-se com líderes do México e de outros países e ajudando a firmar um pacto para atualizar o Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta).

A honraria deve ser entregue formalmente pelo presidente Enrique Peña Nieto a Kushner na quinta-feira, nos bastidores da cúpula do G20 em Buenos Aires, noticiou o jornal mexicano Reforma na terça-feira, citando fontes governamentais não identificadas.

A cúpula também deve ser o cenário no qual os líderes de México, EUA e Canadá assinarão o acordo comercial regional reformulado.

A homenagem a Kushner foi um dos assuntos mais comentados no Twitter, onde pareceu ter sido criticado principalmente por mexicanos proeminentes.

– Dar-lhe a Águia Azteca reflete uma atitude suprema de humilhação e covardia – escreveu o historiador mexicano Enrique Krauze, observando que Trump classificou imigrantes mexicanos de assassinos e estupradores em sua campanha presidencial em 2016.

O ator mexicano Gael García Bernal escreveu que a decisão foi “tremendamente vergonhosa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *