México diz que não quer confrontação com EUA por muro na fronteira

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 1 de abril de 2019 as 12:47, por: CdB

O presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador declarou nesta segunda-feira que seu país deve ser prudente e ser um bom vizinho dos Estados Unidos, acrescentando que é importante regular o fluxo de imigrantes ilegais.

Por Redação, com Sputnik e Reuters  – da Cidade do México/Washington

No final de março, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que poderia fechar a fronteira com o México, alegando que o país vizinho não estaria tomando medidas para impedir o fluxo de migrantes.

Segundo o presidente dos EUA, o muro é necessário para impedir que criminosos e terroristas entrem nos EUA

O presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador declarou nesta segunda-feira que seu país deve ser prudente e ser um bom vizinho dos Estados Unidos, acrescentando que é importante regular o fluxo de imigrantes ilegais.

As declarações do líder mexicano aparecem no contexto do anúncio de Trump feito em 29 de março de que ele provavelmente fechará a fronteira sul na próxima semana se o México não introduzir nenhuma medida para impedir o fluxo de imigrantes ilegais para os Estados Unidos.

Em uma tentativa de combater a imigração ilegal, Trump declarou uma emergência nacional em fevereiro, após demandar ao Congresso US$ 8 bilhões em financiamento federal para construir um muro na fronteira sul dos EUA. Segundo o presidente dos EUA, o muro é necessário para impedir que criminosos e terroristas entrem nos EUA. O Congresso, por sua vez, se opôs ao plano.

Ameaça de fechar fronteira

A administração Trump dobrou no domingo a ameaça de fechar a fronteira ao sul com o México, um dia após cortar ajuda a países da América Central, os quais o presidente Donald Trump acusou de enviar imigrantes deliberadamente para os Estados Unidos.

Enfrentando um aumento de buscas de asilo por cidadãos de países da América Central que viajam pelo México, Trump afirmou na sexta-feira que havia uma “grande probabilidade” de fechar a fronteira na semana seguinte caso o México não impedisse imigrantes sem autorização de chegar aos Estados Unidos.

Ele também acusou, sem fornecer evidências, os países de “organizar” caravanas de imigrantes e enviá-los para o norte.

Falando ao programa This Week do canal ABC, o chefe de gabinete interino da Casa Branca, Mick Mulvaney, afirmou que o presidente tinha poucas opções na ausência de qualquer apoio dos Democratas por mais segurança na fronteira ou ação do Legislativo para mudar a lei de imigração.

– Diante de tais limitações, o presidente fará tudo o que puder. Se fechar os portões de entrada significa isso, é exatamente o que ele pretende fazer – disse Mulvaney. “Precisamos de segurança na fronteira e vamos fazer o melhor que podemos com o que temos”, acrescentou ele.

A conselheira da Casa Branca Kellyanne Conway disse ao programa Fox News Sunday que a situação na fronteira estava em “ponto de fusão” e que o presidente falava sério em sua ameaça. “Certamente não é um blefe. Você pode levar o presidente a sério.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *