Michael Cohen não quer perdão presidencial, diz representante

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 22 de agosto de 2018 as 11:23, por: CdB

No depoimento dramático que deu na terça-feira, Cohen disse a um tribunal federal de Manhattan que Trump o instruiu a planejar pagamentos antes da eleição presidencial de 2016 para silenciar duas mulheres

Por Redação, com Reuters – de Washington

Michael Cohen, ex-advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não aceitaria um perdão presidencial, disse o advogado dele nesta quarta-feira, um dia depois de Cohen se declarar culpado de oito acusações criminais e dizer ter agido sob orientação de Trump.

Michael Cohen, ex-advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Em uma série de entrevistas na televisão, o advogado de Cohen, Lanny Davis, disse que o ex-advogado de longa data de Trump não quer ter nenhuma ligação com o que vê como um abuso presidencial do poder de clemência por Trump.

Cohen também questionou a lealdade de Trump aos EUA e o considera inepto para o cargo, acrescentou Davis.

– Ele não quer nem irá querer nada de Donald Trump – afirmou Davis à rede MSNBC.

No depoimento dramático que deu na terça-feira, Cohen disse a um tribunal federal de Manhattan que Trump o instruiu a planejar pagamentos antes da eleição presidencial de 2016 para silenciar duas mulheres que disseram ter tido um caso com o então candidato. Ele admitiu sua culpa em acusações de sonegação fiscal, fraude bancária e violações de finanças de campanha.

Confissão

Sua confissão coincidiu com a ocasião em que Paul Manafort, ex-gerente de campanha de Trump, foi condenado por oito acusações em um julgamento de fraude tributária derivado de uma investigação federal sobre interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016 e uma possível coordenação com a campanha de Trump.

As duas condenações aumentam a pressão política sobre o presidente e seus colegas republicanos antes das eleições parlamentares de novembro, nas quais os democratas almejam retomar o controle do Congresso, e sobre Trump pessoalmente.

Representantes da Casa Branca não responderam de imediato a pedidos de comentário indagando se Trump cogitaria perdoar Cohen, mas o próprio Trump rejeitou seu ex-advogado em uma postagem no Twitter nesta quarta-feira.

– Se alguém estiver procurando um bom advogado, sugiro enfaticamente que não contrate os serviços de Michael Cohen! – disse.

Rudy Giuliani, atual consultor de Trump, disse não haver alegação de irregularidade nas acusações contra Cohen.

Embora Cohen não tenha mencionado Trump no tribunal na terça-feira, Davis voltou a acusar o presidente nesta quarta-feira de estar diretamente envolvido.

Davis disse acreditar que Cohen tem informações que seriam de interesse do procurador especial Robert Mueller, e na entrevista que concedeu à MSNBC nesta quarta-feira insinuou estarem diretamente ligadas às tentativas russas de interferir na votação de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *