Ministério da Saúde erra e envia doses do Amazonas para Amapá

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021 as 13:40, por: CdB

 

O Ministério da Saúde cometeu um erro na distribuição de um novo lote de vacinas anti-covid e enviou 76 mil doses a mais para o Amapá quando estas deveriam ter sido enviadas ao Amazonas, revelou a mídia brasileira em notícia confirmada pela pasta.

Por Redação, com ANSA – de Brasília

O Ministério da Saúde cometeu um erro na distribuição de um novo lote de vacinas anti-covid e enviou 76 mil doses a mais para o Amapá quando estas deveriam ter sido enviadas ao Amazonas, revelou a mídia brasileira em notícia confirmada pela pasta no fim da noite de quarta-feira.

Amazonas deve receber ainda hoje as doses faltantes do lote enviado pelo governo federal

Segundo tabela do próprio Ministério sobre a distribuição, o Amazonas deveria ter recebido 78 mil doses do imunizante AZD 1222, da Universidade de Oxford e da AstraZeneca, mas recebeu apenas duas mil. Já o Amapá recebeu 76 mil doses a mais.

A entrega da CoronaVac, a vacina da Sinovac Biotech que está sendo produzida pelo Instituto Butantan, não teve problemas e foram envidas as 42 mil doses para o Amazonas e 800 para o Amapá.

O Ministério admitiu o erro

Em nota enviada para a emissora Band News, o Ministério admitiu o erro e disse que os dois estados iriam receber “ainda esta madrugada” do dia 25 “as quantidades de doses corretas reservadas aos estados nesta quinta etapa de distribuição de vacinas”.

O ministro Eduardo Pazuello, apontado pelo presidente Jair Bolsonaro como um “especialista em logística”, não se manifestou.

Ao todo, foram distribuídos 1,2 milhão de doses da CoronaVac e 2 milhões de doses da AZD 1222 nesta nova etapa.

O Amazonas é um dos Estados mais afetados pela pandemia de coronavírus Sars-CoV-2 e, recentemente, o colapso no sistema de saúde de Manaus provocou a morte de diversas pessoas por falta de oxigênio hospitalar.

Ainda conforme dados do governo, o Estado já soma mais mortes por covid-19 em menos de dois meses de 2021 do que na comparação com todo o ano de 2020. No total, são 10.642 falecimentos pela doença.