Ministro da Educação divulga informações falsas sobre Enem e estudantes protestam

Arquivado em: Destaque do Dia, Educação, Últimas Notícias
Publicado sábado, 18 de janeiro de 2020 as 16:51, por: CdB

Após os resultados individuais serem liberados na sexta-feira, diversos participantes relataram em redes sociais que suas notas poderiam estar equivocadas. Cerca de 4 milhões de estudantes participaram do exame em 2019.

 

Por Redação – de Brasília e São Paulo

 

Ministro da Educação, o empresário Abraham Weintraub admitiu, neste sábado, que algumas notas do Enem foram divulgadas com erros. Em um vídeo divulgado no início da tarde, ele afirmou que o MEC encontrou “inconsistências na contabilização e correção da segunda prova”.

Ministro da Educação, Weintraub foi alvo de protestos por parte dos estudantes
Ministro da Educação, Weintraub foi alvo de protestos por parte dos estudantes

Após os resultados individuais serem liberados na sexta-feira, diversos participantes relataram em redes sociais que suas notas poderiam estar equivocadas. Cerca de 4 milhões de estudantes participaram do exame em 2019.

Segundo Weintraub, os erros atingiram “um número de candidatos pequeno” e que tiveram “o gabarito trocado quando foi fechado os envelopes”. A correção do problema deve ocorrer até segunda-feira, diz ele.

Em entrevista coletiva, após o incidente, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Alexandre Lopes, disse que até 30 mil candidatos podem ter sido afetados. Trata-se do equivalente a quase 1% dos inscritos. Segundo Lopes, o problema foi causado por uma falha da gráfica responsável pela impressão e transmissão dos dados dos gabaritos ao Inep.

Protestos

Diante dos fatos, a União Nacional dos Estudantes (UNE) classificou de “uma irresponsabilidade” a manifestação do ministro da Educação, Abraham Weintraub. O ministro teria buscado minimizar o problema, dizendo que uma parcela “muito pequena” dos estudantes foi prejudicada, protestou a UNE, em nota.

“É uma irresponsabilidade o ministro afirmar que são problemas isolados. Isso é muito grave e já identificamos centenas de estudantes com discrepâncias muito grandes nas notas. É preciso investigar com precisão e levar a sério esse erro”, pontuou a UNE, em uma rede social.

O presidente da entidade que representa os estudantes, Lago Montalvão, manifestou-se contra a falta de qualidade da gestão do Inep no governo Bolsonaro.

— Importante lembrar que só em 2019 o presidente do Inep foi trocado três vezes pelo ministro da Educação, e com ele outros membros da equipe. Por mais que eles tentem esconder, é inegável que isso impacta na condução do Enem, que é complexo e importante. Que haja investigação — afirmou, a jornalistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *