Ministro Paulo Guedes pretende que meta fiscal seja fixa para 2021

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 3 de dezembro de 2020 as 13:35, por: CdB

Ao chegar no Ministério, Guedes afirmou que, à época do envio ao Congresso do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, em abril, o Brasil enfrentava o auge da pandemia de coronavírus, com colapso da atividade econômica. Segundo o ministro, o cenário hoje é diferente e o Ministério da Economia irá conversar com o TCU.

Por Redação – de Brasília

A meta fiscal para 2021 poderá ser fixa, ante proposta inicial da equipe econômica que ela fosse móvel, sinalizou nesta quinta-feira o ministro da Economia, Paulo Guedes, após avaliar que o cenário hoje é de maior previsibilidade para as receitas no ano que vem.

Paulo Guedes, cada vez mais enfraquecido no cerne do governo, não sabe responder às perguntas mais difíceis
Paulo Guedes, cada vez mais enfraquecido no cerne do governo, não sabe responder às perguntas mais difíceis

Ao chegar no Ministério da Economia, ele afirmou que, à época do envio ao Congresso do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, em abril, o Brasil enfrentava o auge da pandemia de coronavírus, com colapso da atividade econômica.

— Com queda das receitas, ficava muito difícil você dizer qual era o déficit. O Brasil ainda estava em meio à pandemia então naquela ocasião você não podia estimar ainda as receitas, você tinha que continuar com meta flexível para o ano que vem — acrescentou.

Previsões

Segundo o ministro, o cenário hoje é diferente, razão pela qual o Ministério da Economia irá conversar com o Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o tema. Guedes pontuou ainda que não há nenhum problema com o órgão de controle, e que o TCU é “parceiro confiável”.

— Agora a economia se firmando e voltando, nós já teremos possibilidade, vamos conversas com o TCU sobre isso, teremos possibilidade então de rever as previsões de receitas e aí podemos então anunciar — disse ele, a jornalistas.

Na véspera, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a LDO de 2021 precisa definir uma meta para as contas públicas, e classificou a ausência dela ou a adoção de uma faixa flexível como “jabuticaba brasileira”. O texto ainda não foi votado pelo Congresso.

Quanto ao PIB do terceiro trimestre, em rápido comentário, Guedes avaliou que o crescimento da economia brasileira ficou abaixo do esperado, mas que ainda mostra uma retomada em V após o impacto causado pelo surto de Covid-19.

— Veio um pouquinho abaixo do esperado, mas o fato é que economia está voltando em V, realmente está voltando — completou.