Ministro da Saúde diz que é cedo para cancelar isolamento no Reino Unido

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 16 de abril de 2020 as 14:22, por: CdB

O país tem o quinto maior número de mortes por covid-19 do mundo, atrás dos Estados Unidos, da Itália, Espanha e França, mas os dados só registram fatalidades em hospitais e o número real provavelmente é muito maior.

Por Redação, com ABr – de Londres

O surto do novo coronavírus está chegando ao pico no Reino Unido, mas é cedo demais para suspender o isolamento porque o vírus “se alastraria” , se o governo amenizasse as medidas de distanciamento social, disse o ministro da Saúde, Matt Hancock, nesta quinta-feira.

Para Matt Hancock, vírus se alastraria se governo amenizasse medidas
Para Matt Hancock, vírus se alastraria se governo amenizasse medidas

O país tem o quinto maior número de mortes por covid-19 do mundo, atrás dos Estados Unidos, da Itália, Espanha e França, mas os dados só registram fatalidades em hospitais e o número real provavelmente é muito maior.

– Achamos que é cedo demais para fazer uma mudança – disse Hancock. “Embora tenhamos visto um achatamento no número de casos e, felizmente, um achatamento no número de mortes, isso ainda não começou a baixar.”

– Se simplesmente descartássemos todas as medidas agora, o vírus voltaria a se alastrar, e não podemos deixar isso acontecer – afirmou.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, se recupera de complicações da covid-19, que quase lhe custaram a vida, em uma residência de campo, e o governo britânico deve discutir hoje uma revisão do isolamento.

O secretário das Relações Exteriores, Dominic Raab, que assumiu o lugar de Johnson, já deixou claro que não haverá nenhuma suspensão imediata das medidas de distanciamento social, anunciadas em 23 de março.

Raab presidiu uma reunião do gabinete, na qual o principal cientista do governo atualizou os ministros. No fim da tarde, Raab presidiu uma reunião de emergência para debater o isolamento.

Em meio a toda a desolação, no entanto, houve alguma esperança. Tom Moore, um veterano de guerra britânico de 99 anos, completou 100 voltas em seu jardim nesta quinta-feira e arrecadou mais de 12 milhões de libras esterlinas para o serviço de saúde.

– Para todos aqueles que estão tendo dificuldade no momento, o sol voltará a brilhar e as nuvens irão embora – disse Moore.

As restrições

As restrições mais severas do país em tempos de paz praticamente desativaram grande parte da economia mundial, e o Reino Unido caminha para sua depressão mais profunda em três séculos.

Enquanto líderes de todo o mundo cogitam maneiras de sair do isolamento, epidemiologistas alertam que uma segunda onda do surto poderia ameaçar os mais frágeis e os idosos.

Próximas semanas na Europa

A Europa está atualmente no olho do furacão da pandemia de covid-19, e o número de casos da doença se aproxima da casa do milhão, disse o diretor regional europeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira.

– O número de casos na região continua a subir. Nos últimos 10 dias, o número de casos relatados na Europa praticamente dobrou para se aproximar de 1 milhão – disse Hans Kluge a jornalistas em briefing online.

Isso significa que cerca de 50% do fardo global da covid-19 está na Europa, acrescentou Kluge. Mais de 84 mil pessoas morreram da doença no continente, lembrou.

– As nuvens de tempestade desta pandemia ainda estão pesadamente sobre a região europeia – observou Kluge. Segundo ele, embora alguns países estejam entrando em um período onde podem amenizar algumas restrições gradualmente, “não há um caminho rápido para a volta à normalidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *