Missas com público voltam a ser celebradas no Rio de Janeiro

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 19 de junho de 2020 as 13:21, por: CdB

As atividades religiosas nas mais de 280 igrejas do Rio serão reiniciadas a partir do 4 de julho. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pela Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e vale para missas.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

As atividades religiosas nas mais de 280 igrejas do Rio serão reiniciadas a partir do 4 de julho. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pela Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e vale para missas, orações e demais celebrações que estão sendo realizadas via internet e sem a presença de público desde 20 de março. 

Covid-19 suspendeu celebrações que passaram a ser feitas via Internet
Covid-19 suspendeu celebrações que passaram a ser feitas via Internet

A decisão da Arquidiocese naquele momento de não permitir a presença de fiéis nas paróquias e capelas era para evitar  aglomerações e para conter a propagação da covid-19.

O arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, informou que a Arquidiocese respeita as normas estabelecidas pelas autoridades e, para decidir sobre o retorno das atividades religiosas, consultou infectologistas e outros profissionais de saúde ligados à igreja católica.

– A nossa Arquidiocese, depois de consultar os vigários episcopais, bispos auxiliares, médicos, pessoas especializadas em pandemia e em infectologia e depois de consultar também os vários gráficos do que acontece na cidade, resolveu, a partir do primeiro fim de semana de julho, retomar as missas presenciais com todas as orientações de distanciamento, de higienização e uso de máscaras – afirmou.

Protocolos

Com o anúncio, a Arquidiocese divulgou novamente o documento que tinha apresentado no dia 7 de junho, em que dá orientações sobre todos os protocolos a serem seguidos.

Há a recomendação para que, nas celebrações, não se deve esquecer das pessoas mais idosas e com comorbidades, que precisam de cuidado especial. Neste caso, devem continuar as celebrações virtuais.

– Não existe empecilho legal, já que o Tribunal de Justiça do Estado validou os decretos estadual e municipal [sobre a retomada das atividades], então, nós, a partir dos dias 4 e 5 de julho retomamos as celebrações com todas as providências e cautelas – finalizou o arcebispo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *