Mísseis atingem aeroporto de Basra e manifestantes comemoram

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Oriente Médio, Últimas Notícias
Publicado sábado, 8 de setembro de 2018 as 15:40, por: CdB

Uma autoridade no aeroporto iraquiano disse que não houve interrupção nas operações, e que as decolagens e pousos estavam acontecendo normalmente. Organizadores dos protestos disseram que pausariam os protestos no sábado após a escalada dos atos na noite anterior.

 

Por Redação, com Reuters – de Basra, Iraque

 

O aeroporto de Basra foi alvo de mísseis neste sábado após mais uma noite de protestos contra a elite política do Iraque, nos quais manifestantes incendiaram o consulado iraniano e tomaram funcionários de um campo de petróleo como reféns.

Manifestante aproveita para fazer uma 'selfie' em meio ao incêndio causado por mísseis no Aeroporto de Basra
Manifestante aproveita para fazer uma ‘selfie’ em meio ao incêndio causado por mísseis no Aeroporto de Basra

Fontes de segurança do Iraque disseram que três mísseis Katyusha disparados por fontes desconhecidas haviam atingido o perímetro do aeroporto, embora nenhum dano ou vítima tenha sido reportado. O consulado dos Estados Unidos fica ao lado do aeroporto de Basra. Uma autoridade no aeroporto iraquiano disse que não houve interrupção nas operações, e que as decolagens e pousos estavam acontecendo normalmente.

O ataque aconteceu pouco depois da suspensão de um toque de recolher e horas depois da reabertura do principal porto marítimo do Iraque, Umm Qasr, onde manifestantes haviam bloqueado a entrada do porto, forçando a suspensão das operações.

Toque de recolher

As ruas de Basra estavam quietas e se esvaziando enquanto autoridades reinstauraram o toque de recolher que teve início às 16 horas no horário local (10h, horário de Brasília). Organizadores dos protestos disseram que pausariam os protestos no sábado após a escalada dos atos na noite anterior.

Havia, no entanto, uma forte presença de forças de segurança na cidade de mais de dois milhões de habitantes, enquanto o governo era fortemente pressionado a reprimir qualquer outro distúrbio.

Basra, a segunda maior cidade do Iraque, foi tomada por cinco dias de violentas manifestações, nas quais prédios do governo foram saqueados e incendiados por manifestantes enfurecidos pela corrupção política. Os protestos se iniciaram primeiro em julho, devido aos serviços governamentais insatisfatórios, mas foram intensificados durante a última semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *