Montadoras reduzem produção a patamar de 18 anos atrás

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 6 de agosto de 2021 as 16:31, por: CdB

Sem os componentes eletrônicos necessários para manter em movimento as linhas de montagem, o mês de julho transcorreu com a produção mais baixa em 18 anos. Desde o início da pandemia, em meses consecutivos, a produção do mês passado se manteve acima apenas dos volumes fabricados entre abril e junho do ano passado.

Por Redação – de São Paulo

A produção de veículos – um total de 163,6 mil unidades no mês passado – caiu 2% em julho na comparação com junho, no país, informou nesta sexta-feira a Anfavea. A instituição representa as montadoras. O resultado reúne carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.

O ritmo diminuiu nas montadoras de automóveis, verdadeiros termômetros da atividade econômica do país

Sem os componentes eletrônicos necessários para manter em movimento as linhas de montagem, o mês de julho transcorreu com a produção mais baixa em 18 anos. Desde o início da pandemia, em meses consecutivos, a produção do mês passado se manteve acima apenas dos volumes fabricados entre abril e junho do ano passado, quando a chegada da covid-19 parou toda a indústria automotiva.

Se comparado a julho de 2020, houve queda de 4,2% na produção total. Os sete primeiros meses do ano, quando foram fabricados 1,31 milhão de unidades, terminaram com crescimento de 45,8% frente ao acumulado em igual período do ano passado.

Concessionárias

“A falta de peças, mais grave nos componentes eletrônicos, dada a escassez global de chips, voltou a forçar montadoras a suspender a produção no mês passado. Neste momento, as paradas continuam em fábricas da Renault e da General Motors (GM), assim como, parcialmente, em linhas da Fiat e da Volkswagen”, traduz o relatório da Anfavea.

Assim, faltam modelos nas concessionárias, embora a demanda esteja aquecida. As vendas de veículos caíram 3,8% de junho para julho em função de limitação na oferta. O volume de veículos em estoque nos pátios de montadoras e concessionárias também caiu de 93 mil para 85,1 mil unidades de junho para julho.

O total, atualmente, segura apenas 15 dias de venda, menos do que os 16 dias de um mês atrás.  Ao repetir fevereiro e abril, o estoque, no critério de tempo de giro, está novamente no nível mais baixo em 20 anos .

— Não vejo, em curto espaço de tempo, alteração substancial dos estoques — resumiu o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, a jornalistas.  A expectativa é que o abastecimento de semicondutores não seja normalizado antes do fim do primeiro semestre de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code