Moradores voltam a fronteira entre Gaza e Israel apesar de riscos

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 5 de abril de 2018 as 14:20, por: CdB

Acampamentos de tendas surgiram a algumas centenas de metros da cerca de 40 quilômetros, e centenas de jovens se aproximam ainda mais para atirar pedras em soldados de Israel e lançar pneus em chamas contra a barreira

Por Redação, com Reuters – de Gaza:

Uma faixa estreita dentro de Gaza, localizada a cerca de 300 metros da fronteira com Israel, marca uma linha para além da qual a maioria dos moradores de Gaza normalmente não se aventura, temendo ser baleada por tropas israelenses.

Mulheres palestinas preparam pão na fronteira entre Israel e Gaza

Mas a área se transformou desde um protesto iniciado na sexta-feira.

Acampamentos de tendas surgiram a algumas centenas de metros da cerca de 40 quilômetros; e centenas de jovens se aproximam ainda mais para atirar pedras em soldados de Israel e lançar pneus em chamas contra a barreira.

O medo persiste, já que 19 palestinos foram mortos por disparos de israelenses desde o início da manifestação.

Mas alguns palestinos dizem estar aproveitando sua primeira chance em anos de chegar tão perto. Comerciantes montaram barracas de comida; e famílias em visita são entretidas por apresentações com camelos e cavalos amestrados.

– Estas áreas foram abandonadas por serem tão próximas da fronteira. Era difícil para qualquer um visitar – disse Youssef Al-Najar, de 47 anos, vendendo sanduíches de fígado de galinha em uma barraca.

Israel

Israel usa a segurança como justificativa para suas precauções nos arredores de Gaza; que é controlada pelo grupo islâmico armado Hamas. Em 2006 o Hamas e outros grupos militantes atacaram um posto militar israelense através de túneis na fronteira do sul de Gaza; capturando o soldado Gilad Shalit e matando dois colegas de seu tanque.

Os palestinos dizem que a política de Israel os priva de terras aráveis; prejudicando seu sustento e reduzindo o espaço disponível para os dois milhões de moradores do território densamente povoado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *