Moro proíbe entrada de jornalistas com celulares e gravadores em evento

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 18 de setembro de 2019 as 12:32, por: CdB

Moro deu palestra em um evento sobre lavagem de dinheiro chamado “The OFFshore Alert Conference Brazil”, realizado no hotel Palácio Tangará.

Por Redação, com Sputnik e Agências de Notícias – de São Paulo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, proibiu a entrada de jornalistas com celulares, gravadores e câmeras de filmagem durante um evento que participou nesta terça-feira em São Paulo. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico.

Moro deu palestra em um evento sobre lavagem de dinheiro chamado “The OFFshore Alert Conference Brazil”, realizado no hotel Palácio Tangará.

Sérgio Moro tem evitado a imprensa desde que uma crise entre ele e o presidente Jair Bolsonaro foi deflagrada
Sérgio Moro tem evitado a imprensa desde que uma crise entre ele e o presidente Jair Bolsonaro foi deflagrada

A informação sobre as restrições aos jornalistas foi repassada pela assessoria de comunicação do hotel, mas foi imposta pelas assessorias do ministro.

Segundo o Palácio Tangará, jornalistas que estivessem no evento poderiam entrar apenas “com papel e caneta” nas mãos.

O jornal procurou a assessoria do ministro que disse que “houve uma falha de comunicação”.

“A restrição era apenas para filmagem”, disse Moro ao jornal. Já de acordo com o Palácio Tangará a condição imposta pelas assessorias do ministro e do evento foi que jornalistas entrassem apenas “com papel e caneta nas mãos”.

O ministro da Justiça e Segurança Pública tem evitado a imprensa desde que uma crise entre ele e o presidente Jair Bolsonaro foi deflagrada. Bolsonaro queria a saída do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, homem de confiança de Moro.

Também participou do evento em São Paulo a diretora do Departamento de Recuperação de Ativos (DRCI) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, delegada federal Erika Marena. Ela trabalhou com Moro nas investigações da Lava-Jato e foi responsável por batizar a operação.

No site do evento, em inglês, ele é descrito como um “fórum neutro”, uma “conferência que adota uma abordagem holística ao crime financeiro”. Diz o texto de apresentação: “Em nossos eventos, você aprenderá não apenas como identificar fraudes, mas também a lucrar com isso, recuperar seus ativos se for vítima e, geralmente, entender o que está acontecendo no mundo das finanças internacionais de alto valor, para que você possa tomar decisões mais bem informadas”.

Popularidade

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, é aprovado por 54% da população, um desempenho 25 pontos superior ao do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira.

Mais popular e mais bem avaliado entre os ministros do governo Bolsonaro, o ex-juiz da operação Lava Jato é considerado ótimo/bom por 54% dos entrevistados, enquanto 20% o consideraram ruim/péssimo e 24% o avaliam como regular, segundo o levantamento publicado pelo diário paulistano Folha de S.Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *