Morre, aos 80 anos, o ex-presidente uruguaio Tabaré Vazquez

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 6 de dezembro de 2020 as 13:26, por: CdB

Político de centro-esquerda e oncologista, Tabaré Vazquez foi presidente do Uruguai por dois mandatos: entre 2005 e 2010 e novamente entre 2015 e 2020. Foi diagnosticado com câncer no ano passado, no final de seu segundo mandato.

Por Redação, com agências internacionais – de Montevideo

Ex-presidente uruguaio, o médico Tabaré Vázquez morreu, neste sábado, aos 80 anos, em decorrência do câncer de pulmão que enfrentava. A notícia foi transmitida por seu filho, em uma rede social, neste domingo.

O ex-presidente uruguaio Tabaré Vazquez promoveu um longo período de crescimento no país vizinho
O ex-presidente uruguaio Tabaré Vazquez promoveu um longo período de crescimento no país vizinho

O político de centro-esquerda e oncologista, presidente do Uruguai por dois mandatos – entre 2005 e 2010 e novamente entre 2015 e 2020 – foi diagnosticado com câncer no ano passado, no final de seu segundo mandato.

Seu filho Álvaro Vazquez informou que Tabaré morreu em casa, na presença de familiares e amigos. “Em nome da família, queremos agradecer a todos os uruguaios pelo amor recebido por ele ao longo de tantos anos”, tuitou.

Integridade

A frente da Frente Ampla, Tabaré foi o primeiro presidente de centro-esquerda a governar o Uruguai depois de anos de controle dos partidos Colorado e Nacional.

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, anunciou três dias de luto nacional, descrevendo o ex-presidente como alguém que “serviu seu país e trabalhou duro para alcançar grandes feitos”.

A Frente Ampla disse em um comunicado que “seu exemplo de integridade política e compromisso inabalável com nosso país e com o povo nos levará a continuar seu legado”.

Crescimento

Vázquez, que substituiu José Mujica na presidência, presidiu a legalização da produção, distribuição e venda de maconha controlada pelo Estado aprovada no governo de seu antecessor.

Filho de um líder sindical que cresceu em um distrito da classe trabalhadora na capital, ele era popular entre os uruguaios por uma mistura de políticas econômicas pró-negócios e fortes programas de bem-estar que ajudaram a dar o pontapé inicial em uma década de crescimento robusto e redução da pobreza após uma crise profunda no início dos anos 2000.

Em nota divulgada pelo Itamaraty, o governo brasileiro lamentou a morte do ex-presidente uruguaio e transmitiu as condolências à família e ao povo uruguaio.