Morre Rildo, ex-lateral do Santos e da seleção, aos 79 anos

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 17 de maio de 2021 as 11:46, por: CdB

O ex-lateral Rido, do Santos, faleceu na noite de domingo, em Los Angeles, na Califórnia (Estados Unidos), aos 79 anos. Na manhã desta segunda-feira, o Peixe lamentou a perda do ídolo em uma publicação no Twiter. O clube decretou luto oficial de  sete dias.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

O ex-lateral Rido, do Santos, faleceu na noite de domingo, em Los Angeles, na Califórnia (Estados Unidos), aos 79 anos. Na manhã desta segunda-feira, o Peixe lamentou a perda do ídolo em uma publicação no Twiter. O clube decretou luto oficial de  sete dias.

Jogador foi tricampeão paulista com o Peixe de 1967 a 1969

Rildo foi contemporâneo de Pelé, Coutinho e Clodoaldo no Peixe, time que defendeu entre 1967 a 1972: conquistou o tricampeonato paulista (1967/68/69) e em 1968 faturou a  Supercopa-Sul Americana, a Recopa Intercontinental e o Torneio Gomes Pedrosa.

O jogador começou a carreira no Íbis, de Pernamubo, em 1959. Também teve passagens pelo Sport e Botafogo.

O lateral-esquerdo também atuou na seleção brasileira na Copa da Inglaterra de 1966.  Foi convocado diversas vezes entre 1963 e 1969, e chegou a disputar a posição com Nilton Santos (Botafogo).

Salézio Kindermann morre aos 77 anos

O fundador e presidente do Avaí/Kindermann, Salézio Kindermann, faleceu na noite de sábado por sequelas do novo coronavírus (covid-19). O dirigente passou 37 dias internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Maicé, de Caçador (SC). Segundo a assessoria de imprensa do clube catarinense, que atua na Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, o velório deste domingo foi restrito aos familiares.

Salézio tinha 77 anos e testou positivo para covid-19 em 5 de abril. Três dias depois, foi internado e intubado em estado gravíssimo. O dirigente apresentou melhora, sendo retirado dos aparelhos e transferido para uma UTI voltada a pacientes sem o vírus. No último dia 12, porém, uma parada cardiorrespiratória agravou o quadro. Em março, ele havia tomado a primeira dose da vacina contra a covid-19.

Nas redes sociais, perfis oficiais de clubes que disputam o Brasileiro Feminino publicaram mensagens de pesar pela morte de Salézio, que também era gestor do Napoli, outro time de Caçador que disputa a Série A1. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) apontou como “grande incentivador do futebol feminino” e definiu um minuto de silêncio antes das partidas deste domingo, nas duas divisões nacionais.

Salézio fundou o Kindermann em 1975

Salézio fundou o Kindermann em 1975. Até o início dos anos 2000, o foco do clube de Caçador era o futebol masculino. As atenções mudaram para o feminino em 2004, primeiro no futsal, depois no campo. Em 2014, a equipe foi vice-campeã brasileira nos gramados, conquistando a Copa do Brasil no ano seguinte, firmando-se como potência na modalidade.

A agremiação passou a ter o Avaí como parceiro em 2019. Um ano depois, foi novamente vice-campeã brasileira. Em 2021, disputou pela primeira vez a Libertadores Feminina (de 2020) e já tem vaga assegurada na edição referente à atual temporada. Jogadoras que integraram a seleção nas últimas convocações, como a lateral Camilinha e as meias Andressinha e Júlia Bianchi, estão entre as revelações do Kindermann. As atletas lamentaram o falecimento de Salézio em publicações no Instagram.

– Se tudo que sou e que tenho é graças ao futebol, então é graças ao senhor. Obrigada por abrir as portas de seu clube e me dar uma oportunidade lá em 2011, onde tudo começou – escreveu Júlia, que defendia o Avaí/Kindermann até o ano passado e atualmente veste a camisa do Palmeiras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code