Moscou acredita que Ártico deve permanecer livre de qualquer atividade militar

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 20 de maio de 2021 as 13:55, por: CdB

A Rússia está satisfeita em ver que a maioria de seus parceiros do Conselho do Ártico concorda que as atividades militares devem ficar longe do Ártico, disse o chanceler Sergei Lavrov nesta quinta-feira.

Por Redação, com Sputnik – de Moscou

A Rússia está satisfeita em ver que a maioria de seus parceiros do Conselho do Ártico concorda que as atividades militares devem ficar longe do Ártico, disse o chanceler Sergei Lavrov nesta quinta-feira.

Rússia acredita que Ártico deve permanecer livre de qualquer atividade militar

Em abril, Estados Unidos e Noruega assinaram um acordo que Moscou acredita que possibilitaria a Washington enviar tropas e ativos para as chamadas áreas coordenadas do Ártico, para a realização de exercícios militares. Lavrov, por sua vez, prometeu levantar essa questão na 12ª reunião ministerial do Conselho do Ártico em Reykjavik, na Islândia, que começou na quarta-feira.

Ártico deve permanecer uma área de paz

– Acreditamos que o Ártico deve permanecer uma área de paz, estabilidade e cooperação construtiva. Durante a reunião desta qunta-feira, mais uma vez enfatizamos que não vemos potencial para conflito aqui, muito menos para o desdobramento de qualquer tipo de programa de blocos político-militares. Estamos satisfeitos que a maioria dos nossos parceiros compartilhe dessa posição – disse o chanceler russo em uma coletiva de imprensa conjunta com o ministro das Relações Exteriores da Islândia, Gudlaugur Thordarson, que aconteceu em paralelo à cúpula ministerial.

Estabelecido em 1996, o Conselho do Ártico é um fórum intergovernamental de alto nível, que visa promover a parceria e a coordenação entre os Estados da região em questões de interesse comum, como o desenvolvimento sustentável e os povos indígenas.

Os oito países do conselho incluem Canadá, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, Rússia, Suécia e Estados Unidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code