Moscou considera legal a substituição de pena suspensa de Navalny por prisão real

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sábado, 20 de fevereiro de 2021 as 10:14, por: CdB

 

Entretanto, o tribunal teve em consideração o fato de Navalny ter estado em prisão domiciliária durante um mês e meio, de 30 de dezembro de 2014 a 17 de fevereiro de 2015. Tendo em conta este período e mais um mês passado em centro de prisão preventiva, o blogueiro e opositor russo Navalny ficará encarcerado por mais cerca de dois anos e cinco meses.

Por Redação, com Sputnik – de Moscou

Entretanto, o tribunal teve em consideração o fato de Navalny ter estado em prisão domiciliária durante um mês e meio, de 30 de dezembro de 2014 a 17 de fevereiro de 2015.

Aleksei Navalny pode ser transferido à cadeia a qualquer momento

Tendo em conta este período e mais um mês passado em centro de prisão preventiva, o blogueiro e opositor russo Navalny ficará encarcerado por mais cerca de dois anos e cinco meses.

Aleksei Navalny pode ser transferido à cadeia a qualquer momento, até mesmo hoje, após a decisão do tribunal moscovita de substituir a pena de liberdade condicional por prisão real, disse aos jornalistas o advogado Vadim Kobzev.

Os advogados de defesa do opositor declararam que pretendem interpor recurso de cassação contra a decisão de comutação de pena.

Em 17 de janeiro, Navalny foi preso em Moscou após regressar de avião vindo da Alemanha, sendo acusado de violar condições de pena suspensa de prisão. Aliados do opositor convocaram ações não autorizadas em apoio a Navalny depois que o ativista foi colocado sob custódia de 30 dias.

Tribunal de Moscou

Em 2 de fevereiro, um tribunal de Moscou decretou que Navalny fosse enviado para um estabelecimento prisional de regime geral por três anos e cinco meses. Segundo o Serviço Penitenciário da Rússia, o opositor violou os termos do período de liberdade condicional, não tendo comparecido perante as autoridades durante o período determinado e recebido numerosas punições administrativas.

O tribunal considerou que Navalny e seu irmão Oleg se apropriaram de cerca de 30 milhões rublos (R$ 2,19 milhões) tendo convencido a empresa Yves Rocher e outra organização a celebrar contratos de transporte de material impresso a preços inflacionados.

Anteriormente, representantes das lideranças dos EUA e da União Europeia condenaram o veredicto de Navalny e pediram a liberação do opositor russo.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia, ao comentar as reações da comunidade internacional sobre a situação de Navalny, afirmou que os políticos estrangeiros devem respeitar o direito internacional e lidar com os problemas em seus países.