Mourão diz que ‘heróis matam’ e Maria do Rosário repudia declaração

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sábado, 8 de setembro de 2018 as 15:13, por: CdB

“Sobre os absurdos ditos pelo vice do candidato que continua inominável: Não houve uma guerra. Houve uma ditadura sanguinária e lesa-pátria. E Heróis salvam vidas e tem causas humanas, não torturam nem matam.

 

Por Redação – de Porto Alegre

 

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) repudiou, neste sábado, a declaração feita, na véspera, pelo candidato a vice na chapa do representante fascista na corrida presidencial, Jair Bolsonaro (PSL), o general reformado Hamilton Mourão. Ele saiu em defesa da ditadura militar (1964-1985). Disse que “heróis matam”.

Mourão diz que torturador é um de seus ícones. Heróis, para o militar, matam
Mourão diz que torturador é um de seus ícones. Heróis, para o militar, matam

“Sobre os absurdos ditos pelo vice do candidato que continua inominável: Não houve uma guerra. Houve uma ditadura sanguinária e lesa-pátria. E Heróis salvam vidas e tem causas humanas, não torturam nem matam. Declarações como desse Sr incitam a violência q tá aí”, disse a parlamentar no Twitter.

Herói assassino

Em entrevista à jornalista Míriam Leitão, presa e torturada durante os governos militares, Mourão foi questionado sobre a declaração dele de que o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra foi “um herói”. Ao todo, 47 pessoas morreram no período em que o militar chefiava o DOI-CODI.

— Meus heróis não morreram de overdose. Carlos Alberto Brilhante Ustra foi meu comandante quando eu era tenente em São Leopoldo. Um homem de coragem, um homem de determinação que me ensinou muita coisa. Houve uma guerra. Excessos foram cometidos — defendeu.

A jornalista questionou:

— Então seu herói matou pessoas?

— Heróis matam — reafirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *