Mourão joga água fria na crise da Venezuela, em contraste com EUA

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019 as 15:01, por: CdB

O general Mourão afirmou que o Brasil defende uma “solução pacífica”; ao contrário do vice-presidente Mike Pence.

 

Por Redação, com agências internacionais – de Bogotá

Vice-presidente da República, o general Hamilton Mourão, em discurso na reunião dos países que integram o Grupo de Lima para debater a crise na Venezuela, foi na direção oposta aos interesses dos EUA. Mourão afirmou que o Brasil mantém a linha de não intervenção, apostando na pressão diplomática, enquanto o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, chegou a ameaçar os militares venezuelanos fiéis ao governo.

— Vamos manter a linha de não intervenção, acreditando na pressão diplomática e econômica para buscar uma solução. Sem aventuras — disse o general, em seu discurso.

Mourão, na chegada ao encontro do Grupo de Lima, na capital colombiana
Mourão, na chegada ao encontro do Grupo de Lima, na capital colombiana

Apesar do discurso duro contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, o militar ponderou que o Brasil defende uma “solução pacífica”.

— Levamos o compromisso com a paz no nosso hemisfério — disse Mourão.

Guerra a Maduro

No último domingo, não foram realizadas novas tentativas de realizar a entrega da ajuda humanitária para a Venezuela a partir do Brasil, após dois caminhões transportando oito toneladas de ajuda humanitária chegarem a Pacaraima na fronteira venezuelana, segundo a mídia.

A crise se agravou na Venezuela em 23 de janeiro, quando o líder da oposição Juan Guaidó se declarou presidente interino. Os EUA e alguns outros países, incluindo o Brasil, apoiaram o movimento, reconhecendo Guaidó. A Rússia, China, México e Turquia apoiam Maduro como presidente legítimo da Venezuela e pedem o diálogo para solucionar a crise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *