MP cria força-tarefa para apurar maus tratos a jovens infratores no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 20 de julho de 2021 as 12:05, por: CdB

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) criou uma força-tarefa para investigar maus tratos cometidos contra jovens infratores em unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas do estado (Degase).

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) criou uma força-tarefa para investigar maus tratos cometidos contra jovens infratores em unidades do Departamento Geral de Ações Socioeducativas do estado (Degase).

Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ)

O grupo foi criado depois de denúncias de que internas teriam sofrido abusos sexuais cometidos por agentes do Degase.

Violência institucional

O MPRJ informou que, além deste caso, tem recebido, nos últimos anos, notícias de violência institucional ocorrida dentro das unidades socioeducativas, onde são internados os adolescentes em conflito com a lei. Um grande problema enfrentado pelas fiscalizações é a falta de dados disponíveis para consulta e de indicadores de monitoramento relativos à violência.

A força-tarefa é formada por três promotoras de Justiça e tem um prazo de duração inicial de quatro meses. A ideia é que, ao fim deste período, possa ser adotado, junto com o estado do Rio regras e normas para a gestão dessas unidades.

À Agência Brasil entrou em contato com o Degase e aguarda um posicionamento.

Tráfico de drogas

Policiais civis da 63ª DP (Japeri) prenderam um homem acusado de tráfico de drogas. Segundo as investigações, em 2016, ele era um dos braços armados do Complexo da Penha, ocasião em que foi baleado em um conflito em uma comunidade de São Gonçalo.

De acordo com os agentes, o homem passou a ser o responsável pela venda de entorpecentes da facção criminosa que comanda diversas áreas situadas no município de Itaboraí.

O homem foi preso no bairro Penha, na Zona Norte, após investigações e análises de dados do setor de inteligência da 63ª DP. Contra ele foi cumprido mandado de prisão expedido pela Justiça. A ação aconteceu no dia 13 deste mês.

Ele foi encaminhado ao sistema prisional e ficará à disposição da Justiça.

Abuso

Policiais civis da 29ª DP (Madureira) prenderam dois homens acusados de estupro de vulnerável durante a Operação Acalento, na semana passada. Um dos presos é acusado de ter estuprado suas duas filhas, de 10 e 8 anos. O crime aconteceu em 2009, em Nilópolis, na Baixada Fluminense.

Ele foi localizado no bairro da Prata, em Nova Iguaçu. Na época, o acusado estava separado da mãe das crianças e aproveitava para manter relações sexuais com elas toda vez que ficava sozinho com as vítimas.

Outro acusado foi localizado em sua casa, em Magé, também na Baixada Fluminense. Em 2012, ele teria estuprado duas crianças, de 6 e 11 anos, na Comunidade do Fumacê, em Realengo, na Zona Oeste da capital. Ele estava foragido desde 2014. Contra ele foi cumprido um mandado de prisão preventiva em aberto.

Os criminosos foram encaminhados para a administração penitenciária, onde ficarão à disposição da Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code