MP cumpre mandados por fraudes em compras de respiradores no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de maio de 2020 as 13:19, por: CdB

O Ministério Público Estadual fez nesta quinta-feira uma operação para prender cinco acusados de fraudes no processo de aquisição de ventiladores/respiradores pulmonares pela Secretaria Estadual de Saúde.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O Ministério Público Estadual fez nesta quinta-feira uma operação para prender cinco acusados de fraudes no processo de aquisição de ventiladores/respiradores pulmonares pela Secretaria Estadual de Saúde. O equipamento é essencial para tratar casos mais graves da covid-19 nos hospitais Fluminenses.

O MP informou que o processo está correndo sob segredo de justiça e, por isso, não pode dar detalhes da operação
O MP informou que o processo está correndo sob segredo de justiça e, por isso, não pode dar detalhes da operação

A investigação

Além dos mandados de prisão, estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão. A investigação identificou a existência de uma organização criminosa estruturada para obter vantagens nas compras emergenciais de equipamentos, que são feitas com dispensa de licitação.

O MP informou que o processo está correndo sob segredo de justiça e, por isso, não pode dar detalhes da operação.

Álcool apreendido

Policiais da 57ªDP (Nilópolis) realizaram, na terça-feira, a doação de mais de 15 mil litros de álcool para hospitais, movimentos sociais, secretarias municipais, associações, além de diversos departamentos da Secretaria de Estado de Polícia Civil. O material foi apreendido pela unidade durante interdição de uma fábrica clandestina no centro de Nilópolis, na Baixada Fluminense.

De acordo com os agentes, no local foram encontradas uma série de irregularidades e constatado que o estabelecimento não tinha condições para fabricar os produtos inflamáveis, além de não possuir autorização dos órgãos competentes. Além disso, os produtos estavam armazenados inadequadamente e os funcionários não tinham equipamento pessoal de proteção.

Ainda segundo os policiais, a empresa era do ramo de cosméticos, mas por conta da pandemia do novo coronavírus, os responsáveis, visando um aumento dos lucros, passaram a fabricar e comercializar álcool 70 e álcool em gel. No local também foram constatadas extensões elétricas, botijões de gás e disjuntores expostos próximos aos produtos inflamáveis.

Após a ação, a unidade conseguiu, junto ao juízo de Nilópolis, a reversão da apreensão para doação, por se tratar de item essencial para prevenção a covid-19.

Peritos da Sepol e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) constataram que o álcool em gel apreendido estava com a quantidade de álcool menor que o determinado legalmente.

Dessa forma, os 10 mil potes de álcool em gel apreendido vão passar por uma nova adequação, realizada pelo IFRJ, com o objetivo de atingir os padrões sanitários exigidos. Após a readequação, o material também será doado.

Roubos

Policiais da 19ªDP (Tijuca), com apoio de policiais militares prenderam, na terça-feira, um homem acusado de diversos roubos na Tijuca, Zona Norte. Contra ele foi cumprido mandado de prisão pelo crime de roubo expedido pela Justiça.

De acordo com os agentes, o preso foi reconhecido pela vítima de um roubo a residência naquele bairro. Ele foi encaminhado ao sistema prisional.