Mutação de coronavírus responde por cerca de 20% dos casos em Paris

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 2 de fevereiro de 2021 as 11:35, por: CdB

A variante altamente infecciosa do coronavírus inicialmente detectada no Reino Unido responde atualmente por até 20% das infecções pela doença na região de Paris, disse um importante executivo de hospitais nesta terça-feira.

Por Redação, com Reuters – de Paris/Londres

A variante altamente infecciosa do coronavírus inicialmente detectada no Reino Unido responde atualmente por até 20% das infecções pela doença na região de Paris, disse um importante executivo de hospitais nesta terça-feira.

Lojas vazias em meio à pandemia de covid-19 em Paris

– Temos resultados iniciais na região de Paris e eles não são bons – disse Remi Salomon, chefe do comitê médico do grupo de hospitais de Paris AP-HP á rádio Franceinfo. “Estávamos em entre 6% e 7% em 7 de janeiro, chegamos a entre 15% e 20% na semana passada.”

Salomon disse que restrições mais duras eram necessárias para conter a pandemia. Na semana passada, o presidente da França, Emmanuel Macron, não impôs um terceiro lockdown nacional e, em vez disso, intensificou os controles nas fronteiras contra a covd-19 e reforçou um toque de recolher noturno.

Mutação

A mutação “mais preocupante” do coronavírus ocorreu espontaneamente na variante britânica, disse nesta terça-feira um professor de medicina epidemiológica que é parte da comissão que aconselha o governo do Reino Unido.

A mutação E484K, que ocorre na proteína espigão do vírus, é a mesma mudança vista nas variantes sul-africana e brasileira, que causam preocupação em todo o mundo.

– A mutação mais preocupante, que chamamos de E484K, também ocorreu espontaneamente na nova variante de Kent em partes do país – disse Calum Semple, membro do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências, à rádio BBC.

Ele se referia à variante britânica, que os cientistas batizaram de B.1.1.7 e que foi detectada primeiramente em Kent, condado do sul inglês.

O fato de que a mutação E484K ocorreu espontaneamente no Reino Unido já havia sido relatado em um informe técnico publicado pela Saúde Pública da Inglaterra, mas este não havia sido amplamente divulgado fora dos círculos científicos.

“Um número limitado de genomas de B.1.1.7 VOC (variante preocupante) … com a mutação E484K foi detectado”, disse o sumário do informe.

Autoridades inglesas começaram a fazer exames de porta em porta visando 80 mil pessoas que moram em áreas nas quais os casos da variante altamente infecciosa foi encontrada.