Navio-tanque ruma para a Grécia e Irã adverte EUA contra interceptação

Arquivado em: América do Norte, Europa, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 19 de agosto de 2019 as 10:01, por: CdB

O petroleiro retido desde julho seguiu rumo à Grécia, após Gibraltar negar pedido de Washington para manter apreensão. Teerã alerta que qualquer tentativa norte-americana de deter embarcação terá “graves consequências”.

Por Redação, com Reuters – de Dubai

Um navio-tanque do Irã zarpou pelo Mar Mediterrâneo rumo à Grécia nesta segunda-feira, depois de ser liberado de uma apreensão no litoral de Gibraltar, e Teerã disse que qualquer manobra dos Estados Unidos para deter a embarcação teria “consequências pesadas”.

Tripulante tira foto do navio-tanque iraniano Adrian Darya 1 em Gibraltar

O Grace 1, rebatizado de Adrian Darya 1, partiu de Gibraltar perto das 23h locais de domingo. Dados de monitoramento de embarcações da Refinitiv desta segunda-feira mostraram que o navio ruma para Kalamata, na Grécia, e que deve chegar no próximo domingo à meia-noite.

A apreensão do navio-tanque por parte de fuzileiros navais da Marinha Real britânica perto de Gibraltar no dia 4 de julho, devido à suspeita de que estava violando sanções da União Europeia por levar petróleo à Síria, criou um impasse de uma semana entre Teerã e o Ocidente e elevou as tensões nas rotas internacionais de transporte de petróleo do Golfo Pérsico.

Gibraltar, um território britânico no exterior, cancelou a ordem de detenção na quinta-feira, mas no dia seguinte um tribunal federal de Washington emitiu um mandado para o confisco do navio-tanque, de sua carga de petróleo e de quase um milhão de dólares.

No domingo, Gibraltar disse que não podia obedecer essa solicitação por estar sujeita à lei da União Europeia. Washington queria deter o navio-tanque sob a alegação de que ele tinha laços com a Guarda Revolucionária iraniana, que designou como uma organização terrorista.

As autoridades gregas não comentaram a situação de imediato.

Ainda nesta segunda-feira, o Irã disse que qualquer tentativa norte-americana de apreender o navio-tanque teria “consequências pesadas”.

Apreensão

Indagado se os EUA poderiam renovar seu pedido de apreensão depois que a embarcação partiu de Gibraltar, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Abbas Mousavi, respondeu: “Tal ação, e mesmo conversas a esse respeito… ameaçariam a segurança do transporte marítimo em mar aberto”.

– O Irã emitiu o alerta necessários pelos canais oficiais, especialmente a embaixada suíça, para que autoridades norte-americanas não cometam tal erro, porque ele teria consequências pesadas – disse Mousavi em comentários transmitidos na televisão estatal.

A Suíça representa os interesses dos EUA no Irã, que não tem relações diplomáticas com Washington.

O Adrian Darya, que recebeu bandeira iraniana depois de se desfiliar do Panamá em 29 de maio, estava totalmente carregado com cerca de 2 milhões de barris de petróleo, segundo dados da Refinitiv. A carga está avaliada em dezenas de milhões de dólares.

O presidente dos EUA, Donald Trump, retirou seu país de um acordo nuclear de 2015 com o Irã em maio do ano passado, mas a UE continua sendo parte do pacto, que permite que Teerã venda seu petróleo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *