Navio da Vale carregado de minério naufraga, lentamente, no Maranhão

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020 as 13:51, por: CdB

Nesta quinta-feira foi realizada uma reunião entre os representantes das empresas envolvidas, membros do Gabinete de Crise e demais órgãos de fiscalização para discutir as ações para o desencalhe da embarcação.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Marinha do Brasil confirmou que o navio Stellar Banner, que transporta minério de ferro da empresa Vale, tem dois vazamentos identificados na sua dianteira.

Embarcação está encalhada próximo ao litoral do Maranhão
Embarcação está encalhada próximo ao litoral do Maranhão

O navio está parcialmente submerso em região próxima ao litoral do Maranhão, segundo a Marinha, encalhada. O navio tem bandeira das Ilhas Marshall, um país da Oceania, e tinha como destino a cidade de Qingdao, na China.

“(…) o Navio Mercante “Stellar Banner”, que carregava minério de ferro da Vale, apresentou um problema, ainda não identificado, nas proximidades da boia nº 1 no canal da Baía de São Marcos-MA, cerca de 32 milhas do Farol de Santana.

Rebocadores

Quatro rebocadores seguiram para o local, onde devem coletar maiores informações do ocorrido e prestar apoio, caso necessário. Além disso, a Vale enviou para o local um rebocador com material para conter possíveis danos ambientais, no caso de haver possibilidade de vazamento da carga. A tripulação do Stellar Banner está a bordo dos rebocadores.

A Marinha instaurou um inquérito administrativo para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do ocorrido. Um representante da Vale, da empresa Ardent Global, e a Autoridade Portuária local se reuniram na manhã de quarta-feira para discutir a apresentação do Plano de Salvatagem. A Ardent Global foi contratada pela empresa autorizada a fazer o transporte da embarcação.

Gabinete de Crise

A Marinha do Brasil montou um Gabinete de Crise, na Capitania dos Portos do Maranhão; no comando do 4º Distrito Naval, em Belém; e no Comando de Operações Navais, no Rio de Janeiro, para tratar os possíveis danos ambientais oriundos do encalhe do navio Stellar Banner e dos planos de desencalhe e salvatagem para a retirada desta embarcação do local.

Nesta quinta-feira foi realizada uma reunião entre os representantes das empresas envolvidas, membros do Gabinete de Crise e demais órgãos de fiscalização para discutir as ações para o desencalhe da embarcação de propriedade da empresa sul-coreana Polaris. Ele transporte minério de ferro e tinha como destino o porto de Qingdao, na China.

O navio mercante apresentou um problema nas proximidades da boia nº 1 no canal da Baía de São Marcos-MA, cerca de 32 milhas do Farol de Santana. “O incidente ocorreu no dia 24, por volta das 21h30. Foram identificados dois vazamentos avante da embarcação. No momento, o Navio encontra-se encalhado”, informou a Marinha, em nota.

A Vale, por meio de nota, disse que foi comunicada pelo operador do navio que a embarcação sofreu avaria na proa após deixar o Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, em São Luís, já fora do canal de acesso ao porto. A nota diz ainda que, “por medida de precaução, os 20 tripulantes foram retirados com segurança da embarcação e que o comandante do navio adotou manobra de encalhe a cerca de 100 quilômetros da costa de São Luís.”

A Vale ressaltou que, como operadora portuária, “está atuando com suporte técnico-operacional, com o envio de rebocadores, e colaborando com as autoridades marítimas.” A Marinha instaurou um inquérito administrativo para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do ocorrido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *