Ney Canta Cartola

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 12 de junho de 2003 as 10:53, por: CdB

Certa vez alguém disse que contra fatos não há argumentos. Pelo visto, Ney Matogrosso concorda. Em maio do ano passado, ele subiu ao palco do Canecão, em Botafogo, para fazer o pré-lançamento do álbum “Ney Matogrosso interpreta Cartola” (Universal, produzido por João Mario Linhares e Zé Nogueira). A intenção era ficar em apenas quatro apresentações, mas a repercussão do show levou o cantor a pensar numa turnê, que percorreu todas as capitais do país e rendeu a gravação de DVD e CD ao vivo.

Pouco mais de ano depois, Ney retorna à casa carioca para mostrar como o espetáculo amadureceu na estrada. “Inicialmente eu não tinha muita noção de como me colocar. Quis respeitar o Cartola e não chamar atenção para a minha pessoa. Agora estou mais eu, já que fui entendendo que não estaria interferindo na obra dele. É o Ney cantando Cartola”, avaliou em recente entrevista ao JB Online.

Vestindo calça e camiseta sóbrias, economizando caras e bocas e deixando no armário a sensualidade que lhe é característica, Ney desfiará, de sexta a domingo, um repertório de primeira linha, com o que há de melhor no cancioneiro do poeta mangueirense, que completaria 95 anos em outubro: de clássicos como ‘Tive sim’, ‘As rosas não falam’ e ‘O mundo é um moinho’ a canções desconhecidas, entre elas ‘Desfigurado’, ‘Senões’ e ‘Basta de clamares inocência’.
“Para mim é uma honra e um privilégio cantar as músicas do Cartola, um dos maiores compositores de todos os tempos”, disse.

De vez em quando, desvie os olhos para a banda que acompanha o intérprete, formada por Marcello Gonçalves no violão de sete cordas, Zé Nogueira no sax soprano, Jorge Helder no baixo e no cavaquinho, Ricardo Silveira no violão e na direção musical e Zero na percussão. A iluminação também faz a diferença, com detalhes em verde e rosa, muito azul, amarelo, tudo bonito e sofisticado.

O endereço do Canecão é Avenida Venceslau Brás, 215,
Botafogo. Telefone: 21 2543-1241. Nesta sexta e sábado, dias 13
e 14, às 22h. Domingo, 15, às 20h30. Ingressos de R$ 20
(poltrona numerada e mezanino) a R$ 60 (setor A), com preços
intermediários – R$ 40 (balcão nobre, setor C e frisa
lateral) e R$ 45 (setor B e frisa central).