Neymar é alvo de representação junto ao MP por crime de homofobia

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Futebol, Polícia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 9 de junho de 2020 as 13:04, por: CdB

Em áudio vazado na coluna do jornalista Léo Dias, do diário brasiliense Metrópoles, na sexta-feira, Neymar xinga seu padrasto, usa termos como “viadinho” e fala sobre uma suposta briga com sua mãe, Nadine Gonçalves.

Por Redação – de São Paulo

O Ministério Público de São Paulo confirmou, nesta terça-feira, o recebimento de uma representação do ativista LGBTQ+ Agripino Magalhães contra o jogador Neymar. Ele e os “parças”, como são conhecidos os amigos do atacante, são acusados por crime de homofobia e formação de quadrilha.

Neymar está de volta ao noticiário policial, dessa vez por crime de homofobia, após responder pela acusação de relação sexual sexual não consentida

Em áudio vazado na coluna do jornalista Léo Dias, do diário brasiliense Metrópoles, na sexta-feira, Neymar xinga seu padrasto, usa termos como “viadinho” e fala sobre uma suposta briga com sua mãe, Nadine Gonçalves.

Empalamento

Os amigos do jogador, do PSG, também fazem parte da representação por ameaçar o modelo e namorado de Nadine de “matar, enfiar um cabo de vassoura no c*”, acrescenta a reportagem.

Agripino justifica que as “falas homofóbicas” e “agressões físicas, sodomia e empalhamento de uma criatura humana” são suficientes para pedir a apreensão da gravação e a quebra de sigilo de todos os envolvidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *