Ninguém se entende no Flamengo

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 7 de outubro de 2002 as 23:27, por: CdB

A Gávea foi palco de capítulos dignos de novela mexicana neste fim de semana. Antes, durante e depois da derrota por 3 x 2 para o São Paulo, sábado, no Maracanã, o que mais se viu pelos lados do Flamengo foram reclamações, nervosismo e choradeira, vindos de jogadores, do técnico Evaristo de Macedo e dos próprios torcedores rubro-negros.

Ainda no primeiro tempo, a torcida ensaiou vaias para o time e começou a retirar as faixas de incentivo. No vestiário, após a derrota, Evaristo se irritou com a imprensa, quando questionado sobre a ausência do meia Iranildo. Já os jogadores reclamaram do técnico, dos próprios companheiros…

“Tiraram a criação do time. Por isso, estamos sendo dominados”, disparou o atacante Liédson no intervalo, referindo-se veladamente à barração de Iranildo. “Ele foi muito vaiado no empate com o Bahia e não tinha condições psicológicas de jogar”, explicou-se Evaristo no dia seguinte à partida, pois se negou a tocar no assunto no vestiário.

A polêmica no clube aumentou quando o capitão Fernando afirmou publicamente que alguns companheiros andam se esforçando menos do que deveriam – o Flamengo está há quatro jogos sem vencer.

“Não sou melhor do que ninguém, mas pelo menos tenho corrido. O time tem de se entregar mais em campo. Entramos dormindo contra o São Paulo. Se não fosse o Diego, teríamos perdido de mais. Ninguém resolve nada sozinho. Todos devem refletir para saber se estão fazendo tudo o que podem”, disparou o zagueiro.

Para o jogo contra o líder São Caetano, quarta-feira, no Maracanã, Evaristo espera contar com o atacante Zé Carlos, que se recupera de torção no joelho direito. Em compensação, o dublê de lateral-direito e volante Felipe Melo recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrentará o Azulão.